sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Mensagem festiva

O Natal pode até ser época de muita coisa para muita gente, mas actualmente para mim, o Natal será essencialmente isto:


(E o que eu gosto disto! Destes mesmo em particular)



Por isso, Felizes Bombons de Chocolate para todos vocês também!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Caça aos gambozinos

ACAPOR avança com queixa-crime contra mil portugueses por pirataria de filmes na Web (ver notícia)



Mil portugueses... SÓ mil portugueses... Enfim, ao menos andam entretidos.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Birthday



... ... ...


Ok, se calhar exagerei um bocadinho (só um bocadinho de nada) com o vídeo.



Mas porra, 24 anos e tanto que ficou ainda por fazer...
(como por exemplo, dizer à rapariga do bar que ela estava especialmente bonita esta noite que passou. Sou um tótó, eu sei)

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Canetas

Hoje, enquanto apontava um número de telefone num simples papel, reparei que pego numa caneta com a mesma hesitação e falta de jeito com que pego na vida. Parece que há algo no meu inconsciente que considera aquela acção desadequada e me considera pouco digno dela. Ou então quem sabe tenho é medo que ela me morda.
A caneta.
...
E a vida.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Tricas futebolísticas

Estava há pouco a ler o Público online e deparei-me com o seguinte título:


«Sporting quer pedido de desculpas por gafe de jornalista» (ver notícia)


Não costumo ser de dar muita atenção ao futebol e ao que se passa nos circos que as pessoas que o gerem normalmente insistem em montar, apesar de até ter uma manifesta cor "clubística" que se reflecte em basicamente gostar de saber quando esse clube ganha alguma coisa.
Ainda assim, o título despertou em mim curiosidade, pensando eu que um pobre jornalista qualquer se teria excedido na sua parcialidade e tivesse dito uma grande asneira que tivesse manchado gravemente o seu decoro profissional. Qual não foi por isso a minha desilusão e até grande confusão quando vejo que a razão de tal ofensa por parte dos dirigentes Sportinguistas foi o facto de o pobre homem se ter referido ao treinador do clube como sendo o «técnico dos lagartos».
Pasmado com a minha ingenuidade - pois sempre pensei que termos como lagartos, lampiões, dragões, laranjas mecânicas, e por aí fora, fariam parte da famosa gíria do futebol e que não seriam por isso termos depreciativos - lá me voltei então a questionar pela razão que me faz não ligar muito ao futebol:

"os circos que os dirigentes futebolísticos insistem em criar e instigar. Exacto, era isso!"

sábado, 11 de dezembro de 2010

Feromona (again)

Porque me apetece pegar de certa forma no tema do post anterior e aligeirar-lhe o tom (ou não).



Damn it!

Penso que pela primeira vez vejo o puzzle desta minha vida com uma claridade aterradora. Finalmente consegui chegar ao, há tanto tempo ansiado, sentido lógico desta minha existência. As ligações de eventos que fazem de mim quem sou estão deslindadas. Finalmente acho que me percebo e foi tão simples.
O problema é que não gostei nada daquilo que vi, apesar de ser necessariamente vital tê-lo visto e compreendido.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

I'm a bad, bad person...

Mãe - Preciso de ideias para o bolo do casamento do teu primo. Procura-me lá aí na Internet por bolos de noiva para me inspirar.

Eu - ... Tudo bem...

(Passado uns minutos)

Eu - Olha, este, este e este parecem-me bem. Muito indicados mesmo para a situação em causa.

Mãe - ...

Eu - O quê? Acho que são bastante sugestivos!

Mãe - Parvo...


segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Banalidades bacocas

«A vida é simples, nós é que a complicamos». Hoje vem-me "à memória esta frase batida", este cliché supérfluo e tantas vezes proferido desse jeito oco e desprovido de utilidade a que insistentemente recorremos quando fingimos ter descoberto a pólvora sobre a existência humana.
Isto tudo porque hoje me apetece dar razão ao dito e pensar que de facto é a nossa interpretação do que nos rodeia que adultera e deturpa descaradamente aquilo que será a nossa realidade. Realidade essa que não existe verdadeiramente, pois a minha realidade é diferente da tua, e a tua é diferente da realidade do outro, e assim sucessivamente até termos um emaranhado de realidades distorcidas e díspares que não se entendem nem jamais se encontrarão numa versão pacífica e utópica das nossas vivências diárias. Ou seja, numa versão consensual daquilo que somos ou que pensamos ser.
E é por isso que digo que complicamos a vida, pois andamos por aí a enganar-nos a nós próprios sobre a nossa existência e sobre a existência dos outros, ou sobre aquilo que deveria ser a nossa existência e a existência dos outros. No entanto, chegados a este ponto, não será afinal a vida exactamente isto, e portanto esta é inevitavelmente complicada por si mesma, tendo eu passado este tempo todo a criar um argumento caótico e incompreensível que me vem contradizer?



(tentativa falhada para voltar a "escrever" alguma coisa)

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Sei que estou a ficar velho...

... quando grande parte das pessoas que conheço não sabe nem nunca ouviu falar desta mirabolante série de animação japonesa do início dos anos 90 sobre o D'artagnan e os três Mosqueteiros:




É sem dúvida uma série muito subvalorizada, principalmente por ter sido das poucas que terá certamente feito o Alexandre Dumas dar voltas no túmulo ao transformar o mulherengo do Aramis numa mulher disfarçada, facto somente descoberto por um dos seus colegas quando este acidentalmente lhe vê as maminhas (sim, era uma série infantil).



P.S. - Série relembrada graças ao post do blog Alternative Prison sobre a mesma (ver aqui!)

domingo, 28 de novembro de 2010

sábado, 20 de novembro de 2010

Será mesmo que mais vale tarde que nunca?

Então o Sr. Papa foi há não sei quanto tempo para África estragar o trabalho exaustivo de prevenção da propagação da SIDA naquele continente ao proferir algumas barbaridades aos seus crentes, para agora vir contradizer-se e dizer que afinal até se pode usar o preservativo "em certos casos"? (ver notícia)

Em que ficamos, Sr. Papa?

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Pensamento parvo do dia

O meu relacionamento com as manhãs é idêntico às minhas tentativas de relações amorosas. É escasso, breve e muito mal aproveitado. E isto tudo quando não passo por elas a dormir.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

As coisas que me aparecem no correio




Tive de me rir com esta...

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Inevitabilidades

A morte é o supremo acto verdadeiramente democrático. Toca a todos, quaisquer que sejam a sua raça, condição social e até mesmo carácter. É inevitável. Daí que seja também algo morbidamente irónico esta condição de inevitabilidade ser um dos grandes medos da humanidade. Ali não há cunhas nem estratagemas que a consigam evitar de forma permanente. Morremos e pronto. Mesmo que, depois de morto, se tente à pressa varrer para debaixo do tapete tudo o que de reprovável o morto fez, numa tentativa vã de expurgar aquela identidade do seu verdadeiro carácter. Talvez não nos apercebamos, mas até aí a pessoa morreu de vez, pois a memória do ser perfeito que queremos forçosamente que fique eternizada não reflecte aquilo que é a realidade de quem ela alguma vez foi.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

«Make the beats go harder»

Ao fim de 5 anos de desaparecimento, a banda Garbage vai voltar para o próximo ano com novo disco, é o que confirma Shirley Manson, a vocalista da banda (ver notícia).






My late 90's are back!


segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Notas mentais (3)


Quando voltar a ter a triste ideia de me disfarçar na noite das bruxas é melhor ter em atenção que corninhos de diabo, que se fixam com simples mecanismos de ventosas, deixam marcas embaraçosas na testa de uma pessoa.

domingo, 31 de outubro de 2010

Portugal despido

No sentido do post anterior, fica o vídeo seguinte sobre a dura realidade deste país.





Não é nada de novo, mas penso que é mais um sinal claro de que algo tem de mudar profundamente na mentalidade das pessoas. Ou estaremos condenados a repetir indefinidamente os mesmos erros do passado.

sábado, 30 de outubro de 2010

Coisas que me fazem confusão

Sou só eu a achar no mínimo caricato que tenha de ser um partido da dita direita conservadora a implorar e a obrigar um partido supostamente dito socialista a não aumentar os impostos sobre os alimentos considerados essenciais para a população? (ver notícia)

Pensamentos despropositados (2)

Durante o almoço, enquanto na televisão ligada começava o programa «Top +»


Interessante a suposta evolução da sociedade portuguesa e das outras de um modo geral. No tempo da ditadura estupidificavam-se as pessoas através da táctica dos 3 F's - Fado, Futebol e Fátima - agora estupidificam-se as pessoas através da táctica POF - Pimbalhada, Ocultismos e Futebol.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Está o circo montado.... para variar

(Retirado daqui)



«It has been said that democracy is the worst form of government except all the others that have been tried.»
~Winston Churchill

domingo, 24 de outubro de 2010

Hell on Earth

É oficial. Sou o único "jovem" da minha família directa que ainda não "juntou os trapinhos" ou se casou com ninguém. Para além de isto ser um sinal claro de que os meus loucos dias de juventude (cof cof) estão a findar, é também prenúncio inequívoco do início do meu inferno pessoal. Tendo em conta as características e dimensão da minha família, os próximos tempos vão ser recheados com as irritantes frases «Então e tu, quando é que te casas? Só já faltas tu!»


I need a fucking drink...

sábado, 23 de outubro de 2010

Melodias do Passado

Porque o Passado, por mais que o tentemos esconder e fingir que não existe, continua lá. Pacientemente à espera que aprendamos a lidar com ele.



Tiago Bettencourt - O lugar

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Está tudo doido!

Então não é que o Vaticano se foi lembrar agora que Homer Simpson e a sua família são verdadeiros católicos e que devem por isso ser abençoados (ver notícias aqui e aqui)?
Depois de me rir durante uma boa meia hora ao ler esta notícia no mínimo caricata, começo agora a dar razão a estes senhores do Vaticano. É que se repararmos bem, os Simpsons são de facto o espelho inequívoco daquilo que é uma família católica comum. Não acham? Analisemos então a situação:

- Temos um pai bêbado e algo ignorante, que come de forma alarve e que agride o filho com regularidade;

- Temos um filho do mais trafulha que existe e que faz a vida negra a tudo e todos;

- Temos uma filha adepta acérrima da Ciência e que não acredita em Deus;

- Temos uma mãe que atura e toma conta desta gente toda como uma mártir;

- Mas no meio disto tudo, rezam antes das refeições e acreditam na vida após a morte. Ou seja, são aquilo a que se gosta de chamar pessoas tementes a Deus.


De facto, é um belo decalque daquilo que é uma família católica modelo actualmente.





P.S.: A aguardar pelos comentários inflamados e ofensivos das pessoas religiosas extremistas que não vão perceber a ironia deste post.

No fundo do copo

Pegas no copo e dás um prolongado gole na esperança que o líquido nele contido te ajude a preencher o vazio criado por uma adolescência não vivida. Gostarias que fosse assim tão simples. Que bastasse um estado ébrio para te apagar de vez as dúvidas e os receios e te arrancar finalmente dessa entidade amorfa em que te tornaste uma simples desculpa que lhe dê a ela algo que a permita reparar em ti. No entanto, sabe-lo bem que preferes o prazer da hipótese incerta à crueza da realidade. É que a realidade, essa, tem insistido em tirar-te o sabor do «se» delicioso com que preenches os sonhos sobre aquele ser tão cuidadosamente idealizado e que insistes em não matar.
Desapontado contigo mesmo retornas ao copo momentaneamente esquecido simplesmente para constatares que, como tu, este se encontra já vazio.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

No dia em que nos cobrarem o ar...

Em conversa com a S. sobre piadas acerca das recentes e dolorosas medidas de austeridade que irão ser implementadas pelo nosso governo muito em breve, lembrei-me dum sketch do longínquo «Programa da Maria» que, dado o tema, é infelizmente bastante actual. Vejamos:





Mais alguém acha que o repentino cancelamento deste programa foi injusto?

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Lavagens de ego internacionais

Desculpem-me este laivo repentino e despropositado de falta de modéstia, mas é que sabe mesmo muito bem termos investigadores europeus conceituados na nossa área de estudo a dizerem-nos que os resultados da nossa tese são interessantes e que concordam plenamente com as principais conclusões que retirámos dos mesmos.

Depois disto, a defesa pública da tese que venha quando vier, que vai ser certamente encarada com muito menos preocupação.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Hoje fez-se História no Mundo

Os 33 mineiros Chilenos que se encontravam encurralados numa mina há mais de dois meses começaram hoje a ser resgatados, sendo que neste momento já estão cá fora mais de metade deles (ver notícia). Ouvi falar em ajudas dos Estados Unidos, mais concretamente da NASA, de ajudas de peritos do Canadá e da Austrália, dos contributos tecnológicos do Japão, da Áustria e da Alemanha, e por aí fora. O esforço conjunto destes vários países, na disponibilização daquilo que cada um deles tem de melhor para ajudar, foi fundamental para o resultado positivo a que se assiste hoje através dos vários meios de comunicação, e é para mim um sinal claro de que quando todas estas potências se reúnem em torno do bem comum, o Mundo pode ter tudo para ser um local melhor.

É por isso que considero que se fez um pouco de História com este acontecimento de hoje. E espero que, ao contrário do que tem sido hábito, os senhores que mandam nisto tenham aprendido de facto alguma coisa.

Peace

[/momento lamechas e hippie]

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

É tudo uma questão de ... tinta

Quem me conhece sabe que tenho um sentido de humor algo parvo. Haverá mesmo quem diga que sou só parvo e que estar a acrescentar-lhe o "humor" é ser demasiado optimista.
Seja como for, o que é certo é que me parti a rir com o facto de terem levado o conceito de tinta permanente a todo um outro nível no programa da Antena 1, «O Amor É», com o Júlio Machado Vaz e a Inês Meneses que foi transmitido no passado dia 7 de Outubro.

Aqui fica para ouvirem e decidirem por vocês mesmos se serei um caso perdido: OUVIR

sábado, 9 de outubro de 2010

Silly Nerd Mode ON

Digam o que disserem, mas um dos aspectos positivos de acompanhar a série Smallville é o de, mais tarde ou mais cedo, sabermos que vai aparecer a Supergirl:


Cena do episódio 3 da 10ª temporada



Chauvinistic much? ... Maybe.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Desta é que foi!

Depois disto e disto, tese finalmente entregue nos serviços académicos. Próxima fase, defesa pública em data indeterminada. But lets just enjoy the moment for now.



Muse - Feeling good

domingo, 3 de outubro de 2010

Empata sonhos

Ontem estava animado por a minha família ir hoje passear e eu ficar por um dia sozinho com a casa só para mim, sem stresses e complicações. Só que me esqueci que existe um ritual típico nestes eventos.

6:20h
Sou abruptamente acordado pelo burburinho que se instala e que depressa se tranfsorma em chinfrim de Mercado Municipal, em parte devido à minha mãe iniciar as suas duas modalidades vocais típicas: ALTO e MUITO ALTO.

6:40h
Os meus pais discutem sobre o que levar na viagem em frente à porta do meu quarto.

7:00h
Ao chinfrim instalado junta-se o TOC TOC TOC constante e irritante provocado pelos saltos das botas que a minha mãe decidiu calçar.

7:10h
A minha mãe entra no quarto, diz-me que vão partir, pergunta-me como foi a minha viagem de ontem a Lisboa e avisa-me que, ao contrário do que lhe tinha pedido, me fez toneladas de comida.

7:15h
O meu pai entra no quarto e repete-me exactamente o que a minha mãe me disse antes.

7:20h
O meu pai grita do quintal que começou a chover.

7:30h
O meu tio, como é hábito, deixa a porta da rua aberta e o cão, como é hábito, sai por ela.

7:31h
Começa a discussão.

7:40h
O cão lá reaparece e finalmente decidem partir.

7:43h
Faz-se silêncio. Esboço um sorriso de alívio e aconchego-me na cama para dormir.

7:45h
Perco o sono. Já nada me vai fazer dormir agora.


Estava mesmo muito animado por ficar por um dia com a casa só para mim. Estava, a sério que estava.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Morte à burocracia!

Não há nada melhor para nos estragar o dia do que ir aos Serviços Académicos da nossa Universidade, com o fruto do nosso trabalho, referente a um longo e atribulado ano, todo impresso e encadernado em cinco dispendiosos exemplares, e nos recusarem o mesmo porque a folha de rosto não tem todos os dados que já estão na capa do mesmo trabalho.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

«E nada disto é cinema»

Porque hoje me apetece ouvir Feromona.




Feromona - Mustang


segunda-feira, 27 de setembro de 2010

É preciso divulgar o Movimento!

Porque acredito que é preciso promover e desenvolver os sorrisos permanentes nos rostos da população feminina portuguesa para que seja possível um país melhor, considero que é louvável o que os fundadores e colaboradores do Movimento recentemente tornado blog, Bloggers pelo Desenvolvimento de Homens Mineteiros, estão a fazer.

Fica por isso aqui o meu contributo, ainda que pequeno e singelo, para a divulgação deste grandioso Movimento.


E não nos esqueçamos que:

«A dry pussy is an unhappy pussy»:






(Frase retirada do "guia" mencionado no Movimento - ver aqui)
(Imagem retirada daqui)

sábado, 25 de setembro de 2010

Ser inteligente também

Ontem tinha a televisão ligada e ouvi alguém ler parte dum determinado comentário que a "senhora" Margarida Rebelo Pinto fez acerca de mulheres gordas (ver aqui). Fiquei tão estupefacto com o que ouvi que fui procurar o dito comentário para o ler com os meus olhos.
O que me espanta no meio disto tudo é que eu ainda me admiro com este tipo de alarvidades proferidas pelo poço de "sabedoria" fútil e oca a que esta senhora habituou a secção da população deste país que compra freneticamente os seus livros e que a considera uma pessoa muito culta e letrada.
Diz este ser vivo no tal comentário que «Ser gira dá trabalho e requer alguma diplomacia». Atrevo-me a dizer que ser inteligente também. Por isso, aqui a Margarida pode começar já a tentar, que vai com alguns bons anos de atraso.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Pensamentos despropositados


"Se a vida é feita de acasos e coincidências, então há pessoas que têm tido um azar do caraças."

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Sanidade é precisa

O Comediante Jon Stewart decidiu promover algo que intitulou de «Rally to Restore Sanity» numa altura em que a América parece atravessar um momento continuado de insanidade extremista e de falta de bom-senso generalizado (ver notícia). Diria mesmo que é coisa que se podia aplicar ao mundo inteiro e não só à América, mas acho que infelizmente nos falta mais "gente maluca" como este comediante por aí.

É que como se costuma dizer, «a brincar, a brincar...»





Para ver o vídeo com o anúncio da manifestação, ir aqui.

domingo, 19 de setembro de 2010

Para aligeirar um pouco o tom


Sei que ainda não perdi peso suficiente quando a câmara de ar do pneu traseiro da minha bicicleta rebenta após levar comigo em cima durante mais de uma hora.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Estatísticas desagradáveis

Nos últimos cinco anos, todas as pessoas da minha família que morreram, morreram através de alguma forma de cancro. Hoje, um tio da minha mãe cedeu também ao cancro, e tornou-se em mais uma confirmação desta desagradável estatística.
Não éramos chegados, mas ser literalmente acordado com este tipo de notícias estraga o dia a qualquer um.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Peter Pan syndrome

Engraçado como tudo muda à nossa volta sem que nos apercebamos. Sentimo-nos como imberbes crianças calçando sapatos de adulto e com os quais não conseguimos ainda andar. Queríamos tanto aproveitar mais um pouco aquela bola colorida e dar-lhe mais um chuto em direcção ao infinito, mas a gravata espera impaciente por nos asfixiar o pescoço para o resto das nossas vidas. E se há coisa que vamos aprendendo, é que à gravata não escapamos impunes, pois quando damos por nós já todos à nossa volta usam uma que os puxa como a cães pelas trelas em direcção aos tais sapatos de adulto. Mesmo que esses ainda lhes escorreguem pelos pés abaixo.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Who's the terrorist now?

Aquele pastor evangélico da Florida que queria queimar o Corão para comemorar os 9 anos dos atentados do 11 de Setembro desistiu da ideia... Mas só por agora (ver aqui e aqui).
Penso que este senhor prova exactamente o contrário daquilo que defende com tanto afinco. O espalhar de medo, o extremismo, as ameaças e as exigências em troca do fim de crimes contra as liberdades alheias, ou seja, aquilo a que podemos chamar de terrorismo não é exclusivo de determinado grupo. Mas principalmente, o que este senhor consegue provar melhor é que a ignorância é transversal a qualquer cultura e que esta é de facto a maior inimiga da paz e do entendimento entre os povos.

Ultimatos, mapas cor-de-rosa, ameaças e coisas dessas

Parece que recebi um ultimato que aparenta transpirar a ameaças belicistas de invasão de território desocupado (ver aqui). Pois bem, lá terei eu de, até ao final do ano, fingir que não sou um geek com a auto-confiança duma amiba, fingir que não me atrapalho todo perante raparigas às quais acho piada, e fingir que percebo muito de engates e coisas do género. Ou é isso, ou certamente determinadas pessoas vão fazer tudo ao seu alcance para me envergonharem descaradamente. (It's just for me to man up, I know, I know)



E não, por muito que este lamentável post possa fazê-lo parecer, há alguns anos que já não sou um adolescente parvo. E há alguns anos que também já não tenho idade para me comportar como um.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Nessa pasta recôndita e empoeirada escondes do mundo tudo o que finges não ser, na vã esperança de que todas as tuas amarguras do passado se consumam na poeira dos tempos. E se por um lado tanto do que lá está já há muito o deixaste de ser, outro tanto que por lá encerraste te atormenta como se ainda ontem o tivesses escrito. Como se ainda hoje o tivesses sentido.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Sei que há algo de muito errado com o Mundo... (2)


... quando até um dos senhores que me costuma cortar o cabelo usa uma pulseira do "equilíbrio". De salientar que me estou a referir a um estabelecimento de cabeleireiro masculino à moda antiga, vulgo barbearia, o que me estraga completamente o estereótipo.

Felizmente desta vez não me calhou ser ele a cortar-me o cabelo, pois passei o tempo todo a pensar: "Agora o que seria mesmo giro era o tipo tropeçar e cortar uma orelha a alguém". (Sim, sou uma pessoa horrível)

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Este quase que podia ser eu





A sério. Há uns anos atrás alguns amigos até deram o meu nome a um smiley do Messenger e tudo. Este:

Infelizmente não resulta tão bem como à partida se possa pensar. Damn you, Joey Tribbiani!



Obrigado ao T. por me mostrar o vídeo.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Notas mentais (2)


Evitar dormir enquanto tenho a televisão ligada. As alucinações hipnagógicas resultantes disso têm-se revelado no mínimo peculiares e demasiado reveladoras.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Urinoterapia - Are you fucking serious?!

Continuando o tema das excreções humanas iniciado no post anterior, mas levando-o para todo um outro nível, a S., estupefacta e incrédula, mostrou-me recentemente um "artigo" sobre a urinoterapia, ou seja, sobre a utilização desse néctar divino que tudo cura e do qual a medicina contemporânea de forma malévola nos quer privar (ver aqui).

Primeiro, tenho sempre sérias dúvidas em relação a supostos artigos sérios quando os mesmos apresentam erros ortográficos. E em segundo lugar, e principalmente por isso, será assim tão difícil fazer a simples associação que sendo a urina o resultado de variadas substâncias que são expelidas do nosso organismo exactamente por ele não precisar delas ou por estarem nele em excesso, que então voltar a ingeri-la, mesmo não sendo tóxica, não vai fazer qualquer diferença nem trazer qualquer benefício para a nossa rica saúde?

Sinceramente temo pelo dia em que alguma alminha defensora da "procura pela harmonia do corpo, da mente e do espírito" sugira a ingestão das restantes excreções humanas como forma de curar mais alguma coisa que tenha escapado à urinoterapia. Só aí iria achar perversamente piada à célebre frase do Bruno Aleixo "olha, calhou cocó!"

Mas caso ainda restem algumas dúvidas sobre o tema, e ainda haja por aí alguém tentado a beber o seu próprio xixi ou até mesmo o xixi alheio, aconselho vivamente a leitura do artigo sobre a desmistificação desta auto-intitulada "terapia" no site Dicionário Céptico (ver aqui). É longa mas vale a pena.

E como já começa a ser hábito mandar vir com as tão chamadas medicinas alternativas, remeto para o último post sobre o tema e de onde retiro uma frase desse grande senhor que é o Tim Minchin e que se encontra no vídeo lá colocado: "Sabes como chamam à medicina alternativa que funciona? Medicina!"

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

«Homem que é Homem mija de pé»

Esta célebre frase da gíria portuguesa, repleta de uma superioridade bacoca, parece que corre o risco de cair em desuso. Principalmente se o que está no vídeo seguinte virar moda.






Eu ainda pensei em pronunciar-me sobre isto, mas sendo um ser do sexo masculino e não tendo por isso a perspectiva indicada para o fazer, pergunto às 5 mulheres que seguem este blog, ou a outras que lhes apeteça dar-me atenção: Esta invenção será de facto prática, é mais um esquema para fazer dinheiro fácil, ou é mais uma vez um exemplo do caminho errado para atingir a igualdade merecida entre géneros?

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

E acabei a tese!


...

A primeira versão que vai ser ainda revista pela orientadora, pelo menos. De qualquer das formas, é um dia histórico. Vou por isso dedicar as próximas horas a fazer algo bastante relevante para mim: nada.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

A boa da rentrée política

(Retirado daqui)


E aí estão eles de volta. Cá esperar sentadinho por boas notíticas...

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

«It´s payback time, bitches!»

Parece que um touro em Espanha saltou literalmente para as bancadas e feriu cerca de 40 pessoas (ver notícia e vídeo aqui). Só não digo que é bem feita porque seria de muito mau gosto, e também porque alguns dos feridos são crianças que não deviam ter de pagar pela estupidez dos pais. E lamento mesmo que situações como esta não sejam ainda suficientes para servirem de lição. Por isso mesmo, nunca é de mais relembrar o demotivator que guardo com mais carinho no meu pc.


Estafermo imprestável, palerma e mal-amado

Uma tese de mestrado onde os resultados escasseiam, que só te apetece atirar para o caixote do lixo mais próximo e cuja discussão há duas semanas que tentas em vão começar.

Um blog onde há mais de um ano tentas infrutiferamente escrever alguma coisa verdadeiramente razoável e que aches que valha a pena.

Uma rapariga simpática que trabalha num dos bares que frequentas e que não consegues fazer com que repare minimamente em ti.

Um problema de saúde que teima em não te dar descanso, provavelmente por causa duma falta de determinação para perderes os quilos a mais e para deixares de ter uma vida sedentária e monótona.

Uma falta de inteligência geral devida a uma reduzida estimulação intelectual ao longo deste quase (falta o quase) quarto de século de existência.



Eu bem que tento ser menos pessimista, mas está difícil...

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

This time it beats me

Estou cansado. Amanhã volto aos níveis de pessimismo habituais.



quinta-feira, 5 de agosto de 2010

O amor, é sempre o amor...

Acho que às vezes temos pressa de amar e de ser amados. Como se o facto de não o termos durante algum tempo fizesse com que deixemos de existir. Queremos impacientemente alguém para nós, alguém que nos queira, alguém que nos valide. Aqui e agora, sem pensar no lá e depois. É certo que a vida é curta, mas não será por isso mesmo que o melhor é aproveitar as coisas à medida que elas surgem, saboreá-las enquanto duram, tomar-lhes o gosto? Parece que apressamos as coisas com medo de descobrirmos que afinal o doce de agora não vai ser sempre tão doce. O problema é que acabamos sempre por o descobrir. E depois pode já vir a ser tarde de mais.

Ou então isto tudo é um disparate, e fui eu que criei uma fobia a relações sérias... Às exageradamente precipitadas, pelo menos.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

A rever-me nas frases dos outros...


«Os nossos pais não diziam para sermos os melhores, diziam para fazermos o melhor possível. E quando se faz o melhor de que se é capaz, às vezes é-se o melhor.»

~ Daniel Sampaio em entrevista ao Público




E pronto, é o máximo de gabarolice e de falta de modéstia que demonstrarei relativamente aos sucessos académicos recentes.

sábado, 24 de julho de 2010

Está bonito, isto

Depois de uma semana de pausa (merecida, acho eu) junto de amigos, volto de novo para a "realidade" e constato que o Passos Coelho se lembrou que afinal é fascista, que a Igreja Católica vai de mal a pior, mesmo que tente depois desdizer-se, e que os adeptos do Benfica estão chateados porque o seu novo guarda-redes, pago a peso de ouro, percebe de muita coisa mas de defender balizas nem por isso.

Nada de novo, portanto.




E em relação às minhas férias, foram muito boas, mas infelizmente curtas. Enfim, para o ano há mais, espero.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Sei que há algo de muito errado com o Mundo...


... quando isto é considerado algo digno duma notícia de jornal.



Obrigado ao D por salientar esta caricata e importantíssima informação para o país.

domingo, 4 de julho de 2010

After all there is still some humbleness

Admito que normalmente tenho uma visão exageradamente negativa do mundo e que algumas atitudes tomadas pela humanidade em geral me desapontam e fazem com que me seja difícil acreditar que é possível conseguirmo-nos superar intelectual e socialmente. E acredito também que em grande parte a religião, e tudo o que de negativo ela implica, seja uma das principais responsáveis por isso.

No entanto, atitudes como esta que foi tomada pelo Nathan e pelo seu grupo religioso numa parada do orgulho gay em Chicago (ver aqui), por mais ínfimas que sejam, são para mim uma lufada de ar fresco claramente inesperada e que me fazem voltar a ter esperança de que existe espaço para a tolerância e que certos dogmas, por muito entranhados que estejam nas sociedades, podem ser gradualmente combatidos. Essencialmente, a minha "fé" no ser humano foi um pouco restabelecida depois de ler aquele post, e é com um claro sorriso no rosto que volto a afirmar algo que já tinha aqui dito antes: o Mundo demonstrou que tem potencial para ser um lugar melhor.

Ainda assim, não quero com isto insinuar que a responsabilidade pelas formas erradas de agir ao longo da História é única e exclusivamente da religião e das pessoas associadas à mesma, e que com isto estou a querer "tirar a água do capote" por não ser religioso. Todos nós, no nosso dia-a-dia, certamente temos ou já tivemos comportamentos dos quais não nos orgulhamos. Eu pelo menos tenho. E é por acreditar que a atitude tomada pelo grupo referido acima transcende qualquer raça, credo, sexo e nível social, e que é um exemplo a seguir, que eu, um jovem adulto, agnóstico, sem quaisquer filiações partidárias e sem outras pretensões quero humildemente associar-me à mesma:


I'm sorry too!

terça-feira, 29 de junho de 2010

Summer night

Por entre essa janela aberta, aquela que raramente abres para o mundo, contemplas a escuridão da noite com uma minúcia compulsiva. O vento ameno de mais uma noite de Verão afaga-te o rosto, mas nem isso te doma a inquietação pois, como dizia o outro, não há estrelas no céu. E perguntas-te quanto daquele vazio é teu também enquanto procuras desesperadamente por um sinal de luz, por mais ínfimo que seja, na vã esperança de que o breu da tua noite não dependa somente de ti.

sábado, 26 de junho de 2010

Sick of it

Se há coisa que me irrita nas pessoas é a necessidade que têm de valorizar o oculto, de desconfiarem da ciência e ao mesmo tempo acreditarem cegamente em tudo o que é inexplicável. Tira-me do sério a confiança exacerbada em bruxos, videntes, parapsicólogos, curandeiros, virtuosos, massagistas de credenciais duvidosas, e quaisquer outras designações sinónimas de charlatões, que prometem a resolução de todos os males de forma milagrosa ou através de produtos de origem não divulgada mas que são extremamente seguros pois são "naturais".

Felizmente existem por aí pessoas muito mais eloquentes que eu, e que tendo esta mesma frustração, a sabem expressar de forma muito mais genial. Senhoras e senhores, Tim Minchin:





Obrigado ao T. por mo dar a conhecer!

sexta-feira, 25 de junho de 2010

A abusar da sorte

É a segunda proposta de emprego, antes de terminar o curso, que recebo num espaço de meses. É a segunda proposta que recuso. E sempre a mesma razão: o timing não é o melhor, a prioridade neste momento é outra.
E das duas vezes achei que me iria arrepender no futuro quando já não existirem desculpas com as quais possa manter este complexo de Peter Pan.
Vamos ver.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

E uma cabeçada na parede, não vai?

Porque há dias em que apetece mandar tudo à merda, virar costas e pôr-me a andar.




segunda-feira, 21 de junho de 2010

É a pura da loucura

Sem ninguém esperar, Portugal fez espectáculo frente à Coreia do Norte. Vitória por 7-0.

E eu, no meio disto tudo, acho é interessante como no futebol as pessoas passam de bestas a bestiais, e vice-versa, com tremenda rapidez.




(A aguardar por vídeo com a Geografia correcta)

domingo, 20 de junho de 2010

Pequeno atrevimento

Não sou poeta. Digo-o com determinada convicção.
Não sei cantar o amor,
nem talento tenho para expressar a dor.
As palavras para mim mais não são
do que a directa transposição
desta que é a dura realidade.
Tão minha. Tão crua.
Tão nua.



(Porque os poetas, os puros, estão à minha volta. E é um privilégio poder "beber" deles)

sábado, 12 de junho de 2010

Idiotices

Sei que estou gordo quando, ao inclinar-me ligeiramente para um dos lados, parto a cadeira de escritório em que estou sentado.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Os loucos somos nós?

Lá no fundo, os loucos só querem que alguém os ouça. E por vezes descobrimos mais no discurso incoerente de um velho louco do que numa vida inteira de falsa sanidade.
Ontem a vida fez-nos o favor de nos abalroar da forma mais profética que conhece. E eu sinto que tive perante mim o conhecimento do mundo. Mas não sei se aprendi alguma coisa com ele, pois estou ainda atordoado com as pequenas grandes pérolas de sabedoria intrinsecamente espalhadas na sua loucura.


«O meu pai foi rei... e eu também. Éramos pastores.»

terça-feira, 1 de junho de 2010

"Quando eu quis falar, ela pôs-se a andar..."

"...tal o medo de ficar doente!"

Diabo na Cruz. Bico de um prego.


sábado, 29 de maio de 2010

Size matters

Há uns dias atrás saiu uma notícia que afirmava que a maioria das italianas consideram o treinador José Mourinho o amante ideal (ver aqui). Vejo finalmente resolvida uma questão para a qual nunca houve consenso. Ou sinceridade. Agora já posso dizer que numa relação, para algumas mulheres, o tamanho é das coisas mais importantes... O da carteira, pelo menos.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Completly Lost - And I kinda liked!



Chegou ao fim uma daquelas que será certamente das séries mais controversas dos últimos anos. Lost irritou muita gente por deixar em aberto e sem resposta a quantidade exorbitante de mistérios que criou ao longo dos seus seis anos de exibição. E em certa medida terá desapontado por chegar ao fim e continuar a deixar por esclarecer alguns deles.
Apesar disso, posso afirmar que é das minhas séries preferidas de sempre. Não me lembro da última vez que terminei de ver uma série e tive de parar, sentar-me, e pensar no que tinha acabado de ver e o que raio queria aquilo tudo dizer. Lost vale a pena porque não nos dá de bandeja um final previsível, porque nos obriga a reflectir sobre o seu significado e implicações, e porque as complexas relações humanas que nos apresenta nos forçam a pensar nas nossas.

Mesmo tendo ficado algo frustrado por querer saber ainda mais sobre algumas das coisas que não ficaram clarificadas, gostei. Gostei muito.



domingo, 23 de maio de 2010

Reconciliação

Acho que posso finalmente fazer as pazes com o Verão e o calor.






Meto-me a dizer estas parvoíces e depois admiro-me de estar descomprometido.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Fast-food Love (ou os devaneios de um louco ensonado)

Contemplo-te em silêncio os suaves movimentos e o delicioso sorriso. Anseio pelo toque delicado da tua pele e pelo brilho revigorante dos teus olhos. Quero consumir-me em ti e desaparecer por entre a lascívia do teu corpo. Todavia, não sei se te quero ou se preciso de ti. Se não passas do resultado de desculpas e desculpas com as quais me tento esquivar constantemente à simplicidade dos amores descartáveis. E então deixo de te reconhecer, pois perco-me na memória de todas aquelas que és, que foste e que virás a ser. Porque na verdade não existes. Não passas daquilo que quero que sejas. Um refúgio seguro da vã esperança. Uma ferramenta do prolongamento desta doce ilusão. E que afinal, mesmo não te usando, uso-te. Tão descartável como aquilo de que me convenço que evito.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Se o PR mandasse mesmo...

... acho que a coisa tinha ficado mais ou menos assim:








E isto sou eu a ser optimista.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Só porque me apetece

E porque considero um exagero esta visita do Papa ao país, e um atentado à divisão entre estado e igreja consagrada na Constituição da República Portuguesa, divulgo aqui a Associação Ateísta Portuguesa (AAP).


Consultar o site.


A quem interessar que divulgue também.


quarta-feira, 12 de maio de 2010

Comichões...

Consta que o nosso Primeiro Ministro, José Sócrates, esteve esta manhã numa pequena reunião com o Papa (ver aqui). Consta também que após essa reunião, ao falar com os jornalistas ali presentes, o nosso PM se referiu ao Papa por «Sua Eminência». Consta também, que os Srs. Padres comentadores residentes da RTP, sobre esta visita do Papa ao país, ficaram muito ofendidos com isto, pois, segundo eles, quando se fala do Papa temos de o tratar por «Sua Santidade» e não por Eminência, e que tendo o Sr. Primeiro Ministro um pai católico, que tinha a obrigação de não fazer uma ofensa destas.

Sinceramente não percebo. Do que li, e ouvi, não me apercebi de ninguém ter sido mal educado com o Sr. Papa, e que não o tenham tratado com respeito. E para além disso, tratar por «Sua Santidade» alguém que, no passado, foi responsável pelo encobrimento descarado de crimes hediondos praticados, durante anos e anos, a centenas de crianças indefesas e desprotegidas, tudo pela preservação do bom nome de uma instituição decadente, parece-me no mínimo incoerente. É que no meu entender, uma pessoa assim pode ser tudo, mas santo nem por isso.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Momentos e frases que ficam

É raro gostar de ir a jantares de curso, mas ontem surpreendi-me. Foi uma noite incrivelmente agradável, isto sem falar de que nestas alturas nos lembramos porque é bom estarmos num curso onde a população é maioritariamente feminina, e sem falar também nas propostas indecentes que surgiram ao longo do jantar que, apesar de claramente histriónicas e sem perspectivas de concretização, são sempre boas para alimentar a nossa pobre auto-estima.

Gostei de muita coisa neste jantar, mas uma que me marcou foi certamente a frase que encontrei enrolada num rebuçado:

«Para quem só sabe usar martelo, todo problema é um prego»
~Abraham Maslow

sábado, 1 de maio de 2010

Será caso para dizer...

... que a fé prejudica gravemente a saúde. (ver aqui e aqui)

quinta-feira, 22 de abril de 2010

"Um contra o outro"

Sim, eu sei que há quem diga que não são nada de excepcional e que muitos acham que não têm nada de inovador, mas eu cá gosto das músicas deles, e gosto da voz da vocalista. E sim, eu sei que me "apaixono" de mais por vozes bonitas.

Nova música dos Deolinda.




quarta-feira, 21 de abril de 2010

É bom saber...

... que algures no mundo a religião não está acima da lei (ver aqui).

domingo, 18 de abril de 2010

Política, esse circo que me é tão querido

Resolvi reunir aqui algumas frases célebres, proferidas pelos sérios senhores que nos têm representado nesse espaço tão elevado que é a nossa Assembleia da República. Certamente que haverão muitas mais, e mais ainda proferidas fora da Assembleia, no entanto estas são as que me marcaram mais e que me fizeram pegar em baldes de pipocas e assistir muito entretido às emissões do Canal Parlamento.


“Peço desculpa Sr. Presidente, não era minha intenção insultar o referido e respeitável animal.” – Carlos Carvalhas, Ex-Presidente do PCP, após chamar Tony Blair de avestruz


“Não fiz mais do que cumprir o regimento. Diz o artigo 69… curioso número.” – Mota Amaral Ex-Presidente da Assembleia da República


“Palhaço! É mesmo palhaço! Quem não deve não teme.” – José Eduardo Martins, Deputado do PSD, reagindo a uma resposta do Primeiro Ministro José Sócrates


“Oh Sr. Deputado, eu sei que dói, eu sei que dói, eu sei que dói. Ponha manteiga se quiser.” – Emídio Guerreiro, Deputado do PSD dirigindo-se ao Deputado Pita Ameixa do PS


“Da próxima vez que falar comigo assim, falamos de outra maneira. Vá para o car$&%#.” – Outra vez José Eduardo Martins, Deputado do PSD, reagindo a comentários do Deputado do PS Afonso Candal


“Eu há pouco estava a perguntar de onde saiu este palhaço, que é o senhor, e sabe porquê? Porque eu nunca tinha visto um palhaço permanente numa comissão parlamentar. Mas acho que o devem ter eleito para isso, para nos animar.” – Maria José Nogueira Pinto, Deputada do PSD, reagindo a comentários do Deputado Socialista Ricardo Gonçalves


E claro que não podia faltar a mais recente:

“Manso é a tua tia, pá!” – José Sócrates, Primeiro Ministro, reagindo a comentário do Deputado do Bloco de Esquerda Francisco Louçã


Para o caso de alguém considerar ainda pouco e se quiser rir ainda mais um bocadinho, deixo também uma compilação de 15 cenas caricatas que ocorreram ao longo dos vários anos de democracia em Portugal:



sábado, 17 de abril de 2010

Verdades incómodas

Parece que anda tudo ofendido com as duras palavras que o Presidente da República Checa teve a ousadia de proferir ao lado do nosso Presidente da República (aqui e aqui). Por muito que seja de mau tom gozar com a cara de um convidado, terei sido o único a achar bem aquilo que o Presidente Checo fez?
Sinceramente, acho que de vez em quando é preciso que certos dirigentes sejam envergonhados para que acordem do mundo de fantasia em que vivem e percebam que de facto não estão a trabalhar assim tão bem. Tudo bem que aqui o Presidente Cavaco apanhou por tabela, pois não é ele que governa, mas não terá acabado por revelar também que não se sabe safar lá muito bem de situações incómodas inesperadas a que qualquer representante do país está sujeito?

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Dilemas

Cada vez mais me vou apercebendo que a vida é uma cadela. As oportunidades que nos dá surgem sempre nas piores alturas e vemo-nos obrigados a ter de escolher entre dois caminhos que vão influenciar de forma drástica o resto da nossa vida.
Logo quando preciso de tempo para meter a "casa" em ordem, vejo-me obrigado a ter de tomar uma decisão: agarrar a oportunidade colocada garantindo a possibilidade de um futuro profissional mais palpável, mas colocando em grande risco o fim dos meus estudos onde tanto já foi investido; ou deixá-la passar, assegurar o fim do meu percurso académico e entregar o meu futuro profissional nas mãos de um destino indeterminado.

As hipóteses são intermináveis, e as certezas nenhumas.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Notas Mentais


Usar com maior frequência o meu blazer novo. A empregada gira do restaurante de sushi pareceu gostar.



Nunca, mas nunca mais em toda a minha vida voltar a fazer uma endoscopia, por amor à minha garganta. Mesmo tendo ficado com uma fotografia do interior do meu estômago.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Páscoa

Nunca gostei da Páscoa. Não sei porquê, mas acho que são umas festividades muito pouco interessantes e fico sempre deprimido nesta altura. Depois lembro-me que é um feriado extremamente religioso e vou ver BD's como esta que se segue e fico mais animado.


Personagens: Deus e Adão
Autoria: Carlos Ruas

quarta-feira, 31 de março de 2010

Fim de mais um ciclo

Hoje terminou mais uma fase desta longa caminhada. Estou ao mesmo tempo, cansado, satisfeito com o meu trabalho e algo desapontado comigo mesmo.

Agora, é tempo de preparar novos voos, arrumar as malas e zarpar de volta a casa.

Por tempo indeterminado.

terça-feira, 30 de março de 2010

Dias de merda...

Se há coisa que o dia de hoje me demonstrou é que não tenho estofo nenhum para aturar gente que mais depressa atira com tudo o que tiver à mão ao primeiro que lhe aparece à frente do que espera para ouvir e compreender alguma coisa.

Estou farto de pessoas!

domingo, 28 de março de 2010

Nostalgias

Não pude deixar de sorrir como um puto a quem lhe devolveram o brinquedo preferido, quando me deparei com o anúncio do "regresso" de um dos meus primeiros professores de Inglês às bancas portuguesas: o Big Muzzy!


"I'm Muzzy, Big Muzzy!" Bons velhos tempos.

Mais alguém conhecia isto, ou estou mesmo a ficar velho?


«Ninguém é quem queria ser»

Começa amanhã a minha última semana de estágio, e mesmo assim nunca me custou tanto ter de fazer a viagem para lá como hoje. Felizmente na Antena 3 passou uma entrevista com o Manuel Cruz durante a maior parte do tempo do caminho, que me foi distraindo. Aquele senhor é de facto um génio. E nem de propósito, a música que passaram não poderia mesmo ser mais indicada. Porque há dias em que eu queria ser ninguém.



terça-feira, 23 de março de 2010

Farto

Estou verdadeiramente exausto de mim e dos meus tão particulares condicionalismos. Estou cansado de fingir que não me afectam ou que não comandam a minha vida como bem lhes apetece. Estou farto de ter medo deles, e de viver apavorado pelo que podem significar. Estou farto de remar contra esta maré que me leva sempre a melhor... Quero férias de mim, quero uma pausa no que implica ser eu. Quero paz.

segunda-feira, 22 de março de 2010

A lógica da batata

Acho curiosa a necessidade que os bancos, essas entidades recatadas que vivem em extrema penúria, têm de inventar taxas do nada. É caso disso, o Montepio, banco onde tenho conta, que inventou agora uma taxa chamada "Comissão de Manutenção", onde trimestralmente nos tiram dinheiro das contas à ordem, a partir do próximo dia 1 de Abril.
No entanto, quando questionados sobre esta taxa instantânea, os funcionários do banco apenas nos respondem que "é a nova política comercial da empresa". Como se isso fizesse toda a diferença. Mas a cereja em cima do bolo é mesmo o valor da taxa. Este simpático valor é tanto maior quanto menos dinheiro haja na conta. Ou seja, quem tiver pouco dinheiro na conta, vai pagar mais. E não há cá desculpas. Que se quer uma conta é para ter lá dinheiro, e muito! Andamos aqui a brincar, não?

Ainda assim, é dada uma oportunidade de ficarmos isentos desta comissão, oportunidade essa que passa por aderir a alguns produtos do banco. A perder é que eles não podem ficar, claro está. Mas sinceramente já estive mais longe de voltar à forma de guardar dinheiro que os meus avós utilizavam: de baixo do colchão. Aí, a não ser que os ácaros comecem também a cobrar comissões por nos guardarem o dinheiro, penso que estará tudo bem.

terça-feira, 16 de março de 2010

Porque até é a história de muito boa gente...

Há uns dias, em conversa com o T. e com o D., lembrámo-nos da tira que se segue. Hoje, por vários motivos lembrei-me dela novamente.
Autoria: Bob-Rz



Vicissitudes da existência humana, só isso.

segunda-feira, 15 de março de 2010

In pain!

Não há nada como conduzir um carro durante mais de 150km acompanhado de uma valente dor nas costas para começar bem a semana.

sexta-feira, 12 de março de 2010

À beira de...

Cheguei a um ponto em que se me falam mais de formações ou de algo relacionado com formações, mais dia menos dia, tenho um surto psicótico.

segunda-feira, 8 de março de 2010

Acho que me está a querer dizer qualquer coisa...

Começo a ficar preocupado com a quantidade de pessoas que andam a dizer que preciso de uma namorada, pelas mais diversas razões. Mas mais preocupado fico quando até o meu inconsciente já me grita a plenos pulmões sonhos persistentes de uma relação feliz e saudável com uma rapariga incrível que nunca antes vi na vida.

Dias "especiais"

Eu acho realmente piada à necessidade que a humanidade tem de criar dias especiais para tudo e todos os que têm tratado de forma miserável ao longo dos tempos. Será uma forma de pedir desculpas, e pronto, já temos a nossa obrigação feita. Como se o simples facto de criar um dia especial para algo mudasse muita coisa nos comportamentos das pessoas no resto do ano.
E não quero com isto descriminar esse ser fascinante que é a mulher neste seu dia "especial". Mas para mim faria muito mais sentido começarem duma vez a dar de facto oportunidades iguais a homens e mulheres, sem qualquer discriminação (salários, licenças de maternidade, etc.) e então depois disso tudo implementado e a funcionar, celebrar finalmente um dia para comemorar, não um dos sexos em particular, mas antes o marco histórico que seria o dia em que a plena igualdade de direitos entrasse em vigor. O dia da igualdade.

quinta-feira, 4 de março de 2010

Nada

Maldita vontade de escrever.
Sentes a inspiração a correr-te apressadamente pelas veias, começa a comichão nos dedos, aquela terrível comichão que te inquieta daquele jeito incessante que tão bem conheces. E cedes à tentação. Agarras na primeira caneta que te aparece pela frente, puxas por uma folha do caderno e preparas-te para vomitar de uma vez todas as ideias que te atormentam desde que te conheces como gente. Mas nada sai. Nada nunca sai da ponta daquela caneta. Oh como tudo é tão mais elaborado dentro dessa mente! E como nada do que pensas consegue transpor intacto essa cela solitária que se tornaram os teus pensamentos. Odeias o que crias, tudo aquilo que produzes, tudo aquilo que fazes, é lixo. Estás preso. Amordaçado dentro de ti mesmo e não tens como o evitar. A frustração interna é tremenda. Gritas, barafustas, destróis tudo à tua volta até caíres exausto, ou até perceberes que tudo isso se passa ainda dentro da tua mente. Cá fora tudo está silencioso, tudo está calmo. A caneta continua apontada ao papel, à espera. O papel, esse, continua em branco, reflexo daquilo que és, daquilo que te tornaste.
Nada.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Porque todas as conclusões vão dar aí...

Em consulta com a médica de família, entre a conversa sobre o que ando a fazer e sobre os problemas que me levaram lá.

Médica: Já há muito tempo que cá não vinha... E está mais gordo! Como é que se deixou engordar assim? Era tão magrinho...

Eu: É verdade... Quem diria, não é?

Médica: Então e tem namorada?

Eu: ... ... De momento, não.

Médica: Ah, pronto! Está explicado então.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Milagre, dizem eles...

É perfeitamente compreensível que numa situação devastadora como a das cheias na Ilha da Madeira, as pessoas, perante o desespero da destruição de tudo o que construíram ao longo das suas vidas e perante os familiares e amigos que perderam, se agarrem ao menor sinal de esperança num futuro melhor.

No entanto, notícias como esta deixam-me profundamente revoltado e irritado. Isto porque acho no mínimo horrível que, existindo um Deus, e tendo ele uma catástrofe perante si em que morreram várias pessoas, em que várias casas, campos e negócios ficaram arruinados, que a única coisa que ele se lembre de salvar é a mera imagem duma santa.
E no meio disto tudo faz-me confusão ainda virem dizer que é milagre, e virem também bispos dizer que é um sinal dos céus. Muito bem! Deus, Todo Poderoso, em toda a sua glória, vai e salva: uma estátua... Sinceramente, milagre acho que seria não ter morrido ninguém. Aí sim convenciam-me de alguma coisa.

Posso estar a ser insensível e despropositado, mas recuso-me a acreditar num Deus materialista cuja principal preocupação é salvar estátuas de porcelana, madeira ou do raio que o parta em detrimento de vidas humanas. É que imagens de santas não faltam e quem as fabrique também não. Agora seres humanos, pode haver muitos, mas cada um deles é único.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

"Eles andam aí" e ainda bem

Há muito tempo que não me ria tanto com um anúncio de televisão. Afinal, ainda se faz boa publicidade por aí.
Os meus parabéns à Compal, pois não só conseguiu captar a minha atenção, como também me deixou curioso para provar o novo Compal Ameixa.

Aqui ficam os anúncios:







quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Dissonância Cognitiva

Das coisas mais assustadoras que presenciei na vida, uma delas é sem dúvida assistir a comentários xenófobos e racistas serem proferidos por uma velhinha simpática de 80 anos.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Liberdade(s)

Confesso. Exagerei neste post e faço-o com frequência quando pretendo chamar a atenção para determinados assuntos que considero importantes. Obviamente que não estamos em regime de censura nem nada que se aproxime daquilo que se viveu antes de 25 de Abril de 1974, pois caso fosse nem eu estava aqui a barafustar à minha vontade, nem muito menos se estaria a falar em todo o lado publicamente de censura sequer. Nem os directores do Sol estariam ainda soltos que nem passarinhos... E vivos.

No entanto, as audições de hoje no parlamento (aqui e aqui) dão alguns indícios de hábitos pouco saudáveis por parte dos nossos governantes e afins para pressionar, condicionar e até decidir que informação nos chega às mãos e através de que meios.
O meu problema não é tanto se cada um pode ou não dizer o que bem lhe apetece. O meu problema é mais sobre uma questão de confiança.
Se sabemos que por natureza as notícias, por mais imparciais que sejam, sofrem sempre de algum tipo de parcialidade, que dizer então quando vem a público a mera suspeita de tentativas de controlo dessa informação por parte do governo de um país, por parte de grupos económicos, e por aí adiante?

É essa Liberdade que me preocupa perder. A Liberdade de poder confiar naquilo que me chega através dos media. De poder aceder, à minha vontade, às fontes que quiser e ter a garantia de que estou a ser informado sobre o que de facto se passa, e não a ser apenas entretido por uma fantasia de alguém com intenções mais obscuras. Enfim, liberdade de acesso ao conhecimento puro, se tal é possível.

Espero sinceramente que todo este arraial que se montou traga esclarecimentos e que, em caso de comprovadas as pressões, independentemente de quem, de onde e de que sentido vieram, os infractores sejam realmente punidos.
Para bem da nossa liberdade. A de acreditar.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

A brincar, a brincar...

(Ontem, em casa da minha avó enquanto para variar descascava na política e nos políticos deste país)


Avó: Ai rapaz, tanta coisa com a política... Porque é que não vais para lá tu?

Mãe: Pois, já lhe falei nisso. É sempre tão preocupado e interessado com essas coisas.

Eu: ... Estou chocado. Dois elementos da minha família desejam como futuro para o seu descendente uma vida de criminoso. Quem diria?...

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Valenine's day is overrated

Se não achasse que o dia de amanhã é uma parvoíce pegada e um claro aproveitamento para apelar ao consumismo desenfreado e, pronto admito, se tivesse a quem o fazer, era rapaz para dedicar uma destas a alguém:




Aos que "têm" alguém, só peço uma coisa. Não caiam na esparrela que é este dia e simplesmente amem-se. Independentemente dos dias.



(... Estou a ficar lamechas de mais para o meu gosto...)

Neandertais ao volante

Cada vez mais começo a aperceber-me que os sinais de trânsito têm um significado diferente em Lisboa. É que para mim o sinal de cedência de passagem significa que devo ceder a passagem, quando entro numa estrada, a quem já lá está nela e está próximo desse cruzamento. No entanto, parece-me que em Lisboa o sinal significa mais "que se lixem os outros! Isto é tudo meu!"

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Onde é que já vimos isto antes mesmo? - Reloaded!

Hoje sinto que saí do trabalho e entrei num país diferente. Agora tentam impedir a publicação de um jornal. Que farão amanhã? Volto a afirmar o que disse aqui antes. A História começa a repetir-se, e não me está a agradar nada o caminho que leva.

Mas no meio disto tudo, se me assusta muito poder vir a perder direitos e liberdades conquistadas por outros há 35 anos atrás, mais me assusta ainda aperceber-me que um país inteiro assiste impávido e sereno, sentado confortavelmente no seu sofá, a um roubo destes como se não fosse nada com ele.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Rainny Days

A chuva cai-te pesada sobre os ombros.
E choras.
Mentiram-te. Os teus pecados não escorrem com ela; os demónios que te atormentam não se afogam; a tua alma continua suja.
E cada vez mais pesada cai sobre ti.
Mas a chuva não te preenche o vazio. O seu toque não te traz o conforto por que tanto anseias. Nada o faz.
E desistes. Nunca soubeste fazer outra coisa.
A chuva cai-te pesada sobre os ombros.
Indiferente à tua presença.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Kicking my Self's ass

A eles ninguém perguntou se queriam deixar de ser crianças. A eles ninguém os deixou escolher o futuro.

Por isso, que egoísmo é esse agora?! Tiveste tempo de sobra. Se a vida te passou ao lado, corresses atrás dela. Não a deixasses fugir.
Acabou-se a brincadeira, rapazinho. É hora de assumires o controlo. É hora de retribuir. Mesmo que só te peçam que sejas feliz.

É hora de seres um homenzinho.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Onde é que já vimos isto antes mesmo?...

«O Primeiro-ministro José Sócrates, o Ministro de Estado Pedro Silva Pereira, o Ministro de Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão e um executivo de televisão encontraram-se à hora do almoço no restaurante de um hotel em Lisboa. (...) fui publicamente referenciado como sendo mentalmente débil (“um louco”) a necessitar de (“ir para o manicómio”). Fui descrito como “um profissional impreparado” (...) Definiram-me como “um problema” que teria que ter “solução”.
(...)
Em 2010 o Primeiro-ministro já não tem tantos “problemas” nos media como tinha em 2009. O “problema” Manuela Moura Guedes desapareceu. O problema José Eduardo Moniz foi “solucionado”. O Jornal de Sexta da TVI passou a ser um jornal à sexta-feira e deixou de ser “um problema”. Foi-se o “problema” que era o Director do Público. (...) o “problema” Marcelo Rebelo de Sousa começou a ser resolvido na RTP (...)»




Eu podia jurar que já tinha ouvido uma história destas começar assim em qualquer lado... Entre 1933 e 1974, salvo erro. Deve ser só impressão minha, se calhar...


Sinais de paranóia, ou de facto começa aqui a cheirar mal? Independentemente dos gostos "jornalísticos" de cada um, e por muito discutível que seja o profissionalismo de alguns desses mesmos senhores como já aqui foi defendido até.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

«Os loucos estão certos»

Já não me lembro quem me mostrou isto ou onde os fui desencantar, mas obrigado à S. por me fazer relembrar deles. Mais um projecto de Jorge Cruz, está claro.

É que estes tipos são mesmo bons e são um sinal claro para aqueles que não acreditam que existe música de qualidade neste país, e que dizem que não é possível fazer nada moderno e interessante pegando nas raízes da música portuguesa. Estão redondamente enganados.