quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Um homem não é de ferro

É que não é mesmo! Por muito machista que este comentário possa parecer.

Tenho dito.





E agora vou ali bater com a cabeça (a que pensa) na parede umas quantas vezes, para ver se volta a ocupar o lugar tomado abruptamente, vá-se lá saber porquê, pela "outra".

domingo, 20 de dezembro de 2009

Resumo dos eventos

Juntando à habitual crise existencial que tenho sempre neste dia, em menor ou maior grau dependendo dos anos, aconteceu ainda isto no dia de ontem:

- Chocolate quente à borla;

- Bolo de Chocolate;

- Pizza;

- Figuras tristes numa pista de gelo;

- Tronco de Natal;

- Jogatana de Tekken na Playstation.



Thank you all.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Já que é garantido que vou arder no Inferno...

... e já que faço anos hoje, o que eu queria mesmo que me oferecessem (para além das óbvias ajudantes do Pai Natal) era um boneco destes:

Boneco de Berlusconi agredido (ver notícia)

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Magoo

Tenho os meus óculos a cerca de 150 km de distância do local onde me encontro, logo não os posso usar durante toda a semana. No entanto sou bastante teimoso em admitir que me fazem falta.
De tal maneira, que chego a passar pela cena de, ao ver uma senhora ao longe, extremamente oxigenada (branco, quase) e a vestir um casaco vermelho comprido, comentar comigo mesmo: «Mas que raio anda aqui a fazer alguém vestido de Pai Natal?», e isso não ser no gozo.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

A procrastinação nem sempre corre bem

Estou deprimido e entediado. E o problema é que agora não sei se é por estar quase a fazer anos ou se por ter tido a infeliz ideia de ir ver o novo filme do Twilight para poder perceber até que ponto estava mau.

É que se por um lado, de há uns anos para cá "crescer" começou a ser algo triste e que não dá vontade nenhuma de celebrar, por outro lado, aquele pedaço de esterco a que chamam de "filme" queimou-me mesmo alguns neurónios e foi, sem sombra de dúvidas, a coisa mais detestável que já vi em toda a minha vida, não vendo qualquer explicação para o seu sucesso a não ser pela nudez masculina parcial constante que possa agradar ao publico pré-adolescente feminino (e, arrisco, a algum masculino também).

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Política! ... Onde?!

Eu a sério que cheguei a pensar que o facto de não termos uma maioria absoluta no governo iria obrigar a que os senhores ministros dessem o litro para justificarem as suas medidas, e que consequentemente isso iria obrigar a oposição a ser mais produtiva com intervenções pertinentes e relevantes para a discussão política. Essencialmente, esperava começar a ver uma melhor forma de fazer política neste país. Vejo agora que estava redondamente enganado:






No meio disto tudo ainda nos vale a intervenção final do deputado do Bloco de Esquerda, mas sinceramente já estive muito mais longe de me tornar anárquico.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Free sex?

Parece que a senhora Presidente da Câmara de Copenhaga aprendeu da pior maneira que às vezes mais vale estar caladinha, segundo notícia do Expresso. É que com esta parva tentativa de melhorar a imagem da cidade e não ter os senhores delegados da cimeira sobre o ambiente a irem às meninas, essas meninas agora "entraram em saldos" como protesto.

No entanto, quero deixar aqui o meu protesto face a este protesto, pois o mesmo também é ele discriminatório. Ora o que têm os senhores delegados a mais que o resto da malta? Porque ganham eles sexo à borla e o resto do comum dos mortais não? Chamam a isto democracia?!

Isto tudo para dizer que estou solidário com todos aqueles homens no mundo que, ao ouvirem os títulos desta notícia, correram a fazer as suas malas em vão para uma viagenzinha até à capital da Dinamarca.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Vida de estagiário

Uma pessoa só tem mesmo noção que não passa dum reles estagiário quando o jantar de Natal da empresa é na cidade da sede da mesma em Espanha (Barcelona), e não está incluído nos convites para o mesmo.



O que me vale é que sempre tenho as belas das ajudantes do Pai Natal aqui no centro comercial onde trabalho para ir lavando a vista... Nem tudo está perdido.
E pronto. É Natal.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

O Tempo, sempre o Tempo

Olho o relógio que trago preso no pulso. E de facto é preso que o sinto, bem agrilhoado à minha existência, comandando, imóvel, todo o meu destino.
Não me lembro de quando lhe dei tal poder, quando passou a ser uma parte relevante do meu ser, mas desde sempre me recordo dele aqui, a viver por mim, a decidir o que é importante.
Agora é tarde. A minha ânsia obsessiva tornou-me dependente, demasiado dependente, desta ilusão de controlo, que na verdade não passa de um encarceramento forçado no comboio do Tempo que não pára por nada. E preso a este relógio arrasto-me através de prazos e compromissos, que se sucedem, e sucedem, e sucedem, ao som de um tick-tack constante, cronometrado, compassado, «repetido ao expoente da loucura».

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Porque conversar comigo acaba sempre por levar ao mesmo tema

Tudo começou por causa desta tira de BD que levou ao relato por parte da minha amiga S. duma cena em que uma mulher se tinha baixado enquanto limpava uma montra e consequentemente tinha ficado com o fio dental à mostra (e mais alguma coisa para além do fio), fazendo com que o rapaz que a acompanhava ficasse extremamente interessado no panorama.

Pois bem, isto tudo levou a que a minha amiga S. iniciasse, via messenger, uma conversa comigo sobre o porquê dos homens terem tanto apreço por mulheres que abrem as pernas e, digamos assim, se põem a jeito. Palavra puxa palavra, o essencial desta brilhante e elucidativa conversa é apresentado de seguida.

(Início citação)
S. diz - Vocês... São uma coisa sem explicação.
Metacrítico diz - Nem por isso. Somos seres de trato simples, a reacção do rapaz ao fio dental mostra isso.
(...)
S. diz - Babados!
Metacrítico diz - Tu é que não estás a ver bem a coisa, mas se pensares bem dá mesmo muito jeito (referindo-me à cena da espargata). As pernas até atrapalham em certos aspectos!
S. diz - Olha.. estás a merecer levar uma resposta, estás estás! Eu não faço espargatas e as minhas pernas nunca atrapalharam! ... por sinal... acho que até sou bastante boa naquilo que faço!
Metacrítico diz - (Rindo compulsivamente) Too much information!
S. diz - E mais não digo.
Metacrítico diz - Não é preciso mesmo. Já está tudo dito!
(...)
S. diz - Basta ser-se bom no que se faz. Oraaaaaaaa e tu não eras bom no que fazias?
Metacrítico diz - Tinha dias...
S. diz - Não te desvalorizes! A não ser que tenhas recebido queixas...
Metacrítico diz - Não, mas também não sei se quereria saber... No entanto até que era uma ideia interessante... Um gajo ter um questionário escrito para a avaliação "do desempenho"! Depois era só distribuir pelas ex-namoradas. É que podíamos sempre afirmar que era para uma procura pela melhoria constante do serviço prestado.
(Fim citação)

Essencialmente, isto é o que dá estar a ler textos sobre desempenho e afins para a minha tese (sim, um ser destes está a fazer uma dissertação de mestrado) enquanto falo sobre sexo pelo messenger.


Ah! E já agora, caso não saibam como envergonhar muito uma pessoa, fazer o que acabei de fazer com este post parece ser uma boa forma.

Pancadas: cada um tem a sua!

Se há coisa que me chateia, mas que me chateia muito, mas mesmo, mesmo, mesmo muito, ... ... ... ... é ver-me obrigado a ter de meter a roupa por dentro das calças.

sábado, 21 de novembro de 2009

Mula da Agonia - Virgem Suta

Para aligeirar o estado depressivo e deprimente deste blog nos últimos tempos, deixo esta música destes senhores, que são simplesmente geniais, e a cujas letras devia prestar muito mais atenção e aprender alguma coisa com elas.



terça-feira, 17 de novembro de 2009

Frase do dia

Algures num comentário no mundo encantado dos blogs deparei-me com a seguinte frase:

«Quem não conhece o amor obviamente que não acredita nele.»



Porque há frases que sem avisar nos atingem como um valente murro no estômago.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Este país é uma comédia!

É incrível. A incompetência neste país até ao mundo do crime já chegou.
Definitivamente, já não se fazem ladrões como antigamente, pá! (Ver notícia)

E ainda bem, que assim sempre temos do que nos rir:

In Correio da Manhã

domingo, 15 de novembro de 2009

"O Tempo é um carro novo sem a marcha atrás"

Isto não é nada original de se dizer, mas realmente o desejo que mais me corre os pensamentos nos últimos tempos é o de poder ter um comando remoto que permita fazer pausa na vida durante um tempo e assim poder parar e voltar a respirar, antes que sufoque de vez nesta amargura.






(Título - citação da música 'Sem marcha atrás' dos Donna Maria)

Trocando por miúdos...

A situação psicológica actual é mais ou menos esta:

video

Por muito que não a queira neste estado.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Carta Aberta ao Sr. Freitas

Caro Sr. Freitas,

Tenho muito gosto em saber que nos FREITAS Supermercados o Arroz Ceifeira 1kg esteja a 0,49€, e que o Azeite Condestável 1Grau 0,75l esteja a 1,95€.
Essencialmente, folgo em saber que nos FREITAS Supermercados tenham aderido às novas tecnologias e estejam que nem uns doidos a enviar mensagens de telemóvel ao acaso numa tentativa de cativarem novos públicos. E fico também muito feliz por si por certamente ter aderido às maravilhas do tarifário Moche da TMN e não pagar nada pelas mensagens que envia.
No entanto, para além de não ser habitual fazer compras, e quando as faço não ligar nenhuma a onde vou, eu não faço a mais pequena ideia onde raios ficam os FREITAS Supermercados, não tendo nunca visto um seu estabelecimento em toda a minha vida.
Onde eu quero chegar com isto tudo é que, se há coisa mais inútil e caricata, é o Sr. estar a gastar o seu tempo ao todas as semanas me enviar as novidades dos FREITAS Supermercados para o meu telemóvel.

Obrigado.

Ass: Metacrítico

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Porque nada é intransponível

Há 20 anos atrás o Mundo demonstrava que tem potencial para ser um lugar melhor, e que todas as barreiras, por mais difíceis que sejam, podem ser ultrapassadas.
A pergunta que fica é se esse potencial demonstrado há vinte anos foi, ou melhor, tem sido e será bem aproveitado pela humanidade.



sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Estou admirado com a admiração

Não percebo o porquê de tanto espanto e admiração com o já famoso caso Face Oculta. Num país de Sacanas e Chicos Espertos, esperavam o quê?

O país que não queira, isso sim, tirar ilações políticas disto, que não é preciso. É deixar os mesmos continuarem por lá alternadamente a meterem ao bolso o que resta e vamos ver em que buraco paramos.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Viver...

Sempre me perguntei o que raios quero eu da vida. E sempre o perguntei porque de facto nunca o soube. E nem sei se alguma vez o saberei; algo que é certamente a fonte de grande parte das minhas frustrações e maneira de ser.

E toda esta auto-terapia de algibeira (que é melhor ficar por aqui para não correr o risco de me tornar ainda mais deprimente) é culpa (no bom sentido) do "reviver" de uma música simplesmente genial dos Virgem Suta e que me deixa sempre melancólico.

Infelizmente, não a encontro em formato replicável aqui no blog, por isso fica a letra:

«Diz o poeta tristemente em seu verso
"Viver é ir morrendo lentamente"
Para mim é um compromisso consciente
Com o fim do qual não há regresso

É um tapete que rola sob nós
É um bilhete que se tira ao nascer
É um roteiro com destino por saber
É um rio que desliza para a foz

É não saber se ao sair se irá voltar
É avançar sem deixar de olhar para trás
É ao partir não saber se se é capaz
É adormecer sem certeza de acordar

Diz o escritor nesse triste pensamento
"Crescer é ter contacto com a morte"
É ver no dia-a-dia a sua sorte
Tomar asas, desaparecer com o vento

É soluçar sem saber porque se chora
É reclamar à morte quem se quer bem
É ser de todos e não ter ninguém
É ver passar o dia hora a hora

É não saber se ao sair se irá voltar
É avançar sem deixar de olhar para trás
É ao partir não saber se se é capaz
É adormecer sem certeza de acordar»
~Virgem Suta - Viver

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

É triste, mesmo muito triste...

... quando chegamos ao ponto em que temos pessoas que nos dizem que quando ouviram esta música se lembraram logo de mim.





O problema é que até as compreendo.

Estou cansado, porra!

...



...


E pronto. É só isto que tenho para partilhar com o mundo hoje.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

We can do Anything

Isto de agora fazer grandes viagens com alguma frequência leva-me a ouvir rádio mais do que o habitual. E realmente, a música que aqui coloco tem-se fartado de passar na rádio. Não sei se será por habituação que fiquei a gostar dela ou se é mesmo por ter um ritmo calmo e agradável e uma mensagem simpática também que até se adequa ao estado de espírito actual. Não sei. O que sei é que me apetece ouvir coisas alegres!




"We can do anything at all
Just as long as we stand tall
We can go anywhere from here
Just as long as you’re near
Whenever I’m around you
It all seems so clear
If I wasn’t such a fool
I’d kiss your lips, my dear
We could be the future and the past
…Just as long as we can make it last
We could just let go, very slowly
Cause right now you’re filling my head
With so many silly questions
About human chemistry
They’re making me uneasy
And soft in my knees
When your heart is trying to tell you something
Not that far from the truth…just do it
And if you try to make the right decisions
based on what you’re made of…remember
We can do anything at all
Just as long as we stand tall"

~Mikkel Solnado

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Se calhar estou é farto de trambolhões

No que toca ao "Amor" não sou das pessoas que mais sorte tem tido. Em grande parte por minha culpa. E depois de tanto murro no estômago e deste quase me ter derrubado de vez, é curiosamente com grande indiferença que o vejo chegar de novo. De mansinho, matreiro, a dar-me o maldito isco para ver se eu alinho na dança.

Não volto a cair nas ratoeiras dum inconsciente que na verdade quer é manter-me ocupado com falsas esperanças de afecto. Desta vez sei perfeitamente o que vai acontecer se for por aí. E sinceramente não o quero, pois sei que não levará a nada a não ser a um estado mais miserável que o actual.

Estou apaixonado, sim e há algum tempo. Já não tenho medo de o admitir. Principalmente porque estou perfeitamente consciente que este sentimento não passa de uma reacção. Uma reacção à solidão. Até o isco do "Amor", Ela, completamente inalcançável obviamente. A intenção é claramente espalhar-me ao comprido. É tudo inconscientemente propositado. Por isso desta vez fico-me por aqui, pois sei que a realidade é bem diferente daquilo que as minhas hormonas me querem fazer crer.

Qual "Amor" qual quê?! Necessidades, isso sim!

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

É de família, dizem

Reparei recentemente que um dos meus primos tem um comentário no seu perfil do messenger sobre um escândalo recente, que de escândalo pouco tem a não ser se considerarmos as figuras tristes duma senhora já com alguma idade como tal. Estou a referir-me pois ao vídeo com alguns anos, mas algumas semanas de sucesso mediático, da Maitê Proença em Portugal.
Achei tão sem interesse e sem relevância, que na altura nem me apeteceu comentar, mas este comentário do meu primo deu-me que pensar. O comentário diz então o seguinte:

"A Maitê Proença não engole, cospe".

Pois bem, a conclusão é simples. A badalhoquice está-me no sangue.
Finalmente tenho uma justificação para dar perante os meus momentos mais insanos: "não liguem, é genético".

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Damn it!

Estou triste. Deixei passar a minha hipótese de poder ir ver o District 9 de forma legal e em condições aceitáveis. O cinema que de momento tenho mais próximo (no local de estágio) já lá não o tem e a minha santa terrinha deixou de ter cinema. Algo sempre bastante positivo para uma capital de distrito e que por acaso até é património mundial da cultura. Detalhes.

É que o filme parece estar tão bom...

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Desafios

Ao fim de um mês inteiro de estágio, eis que me surge agora o meu primeiro grande desafio.


Seleccionar currículos sem ser influenciado pelas fotografias das meninas bonitas que estão em alguns... (São tantas, tantas!)

sábado, 3 de outubro de 2009

Compilação de coisas parvas com que me deparei

Nos últimos tempos tenho assistido na televisão e na rádio a exemplos vários daquilo que eu considero vá, momentos de parvoíce descontrolada que não consigo mais guardar só para mim.

Destaco primeiro a publicidade irritante com o Ricardo Pereira sobre um conhecido champô, que por acaso até é o que uso, mas que me levou a ponderar mudar de produto capilar. Ora se formos a analisar a coisa, o senhor diz que na cabeça tem TUDO menos caspa graças ao champô, claro está. Serei o único a ver o deslize triste nisto? Um champô que só tira a caspa, o resto pode ficar. E até que outras interpretações sobre possíveis problemas conjugais passaram a ser possíveis com esta publicidade? Queremos mesmo ir por aí? Talvez seja melhor não...

Por coincidência, hoje na rádio ouvi a publicidade a um produto para matar piolhos em que uma professora pergunta a um rapazinho quantos anos tem. Até aqui nada do outro mundo, o momento parvo está mesmo quando o miúdo responde "anos não sei, mas piolhos tenho muitos!"Comentários a isto, ao contrário dos piolhos, não há muitos, mas não me sai da ideia uma coisa. Será que o rapaz usaria o mesmo champô do Ricardo Pereira? Se assim for, ao menos com a caspa pode deixar de se preocupar. (Definitivamente, vou mudar de champô!)

Voltando à televisão, esse espaço tão rico em momentos parvos, que raio de anúncio da tmn é aquele em que o Rui Costa e o Sá Pinto aparecem fundidos numa mesma pessoa?! E agora, ao que parece, também a Inês Castel-Branco e a Lúcia Moniz aparecem numa versão do mesmo. Serei o único a achar aquilo medonho?

Para terminar, gostaria de tentar perceber até que ponto sou uma pessoa normal, ou se serei definitivamente perturbado. Sou só eu, ou há algo de badalhoco (no mau sentido) na última música dos Fingertips quando o tipo repete incessantemente "do it to my face"? Eu sei que o tipo está a referir-se a algo que alguém tenha a dizer, mas é que essa expressão que referi faz-me lembrar coisas menos próprias... Se calhar tenho é de parar de ver certos filmes, não sei.

domingo, 27 de setembro de 2009

Invisibilidade Tecnológica?

Começa a preocupar-me seriamente o facto de as luzes com sensores de movimento que existem em algumas casas de banho se apagarem comigo lá dentro, e que as portas automáticas dos centros comerciais se fechem no exacto momento em que eu as vou atravessar.
Sou uma pessoa que gosta de não dar nas vistas, mas sinceramente tanto também não...

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Porquê?! (nº9)

Mas porque é que quando as coisas nos estão a correr bem, e tudo se prepara para acabar em bem, vem algo que nos estraga logo tudo?

É que já começo a acreditar que alguém me rogou uma praga. Não tem havido uma semana descansada ultimamente. Livra!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Devaneios

Ao menos os devaneios estão intactos e sempre dá para maluqueiras DESTAS!

Estava tudo a correr tão bem...

E estava. Mas é que estava mesmo. Mas entretanto o meu organismo tinha de me relembrar que sou uma flor de estufa. E pronto, fim-de-semana prolongado.

sábado, 5 de setembro de 2009

It's the Final Countdown!

Pois é. Prestes a iniciar uma nova fase que se espera promissora, desafiante e sobretudo que se prevê como uma lufada de ar fresco: Estágio noutra cidade do país. Apesar de significar também que se acabou a boa vida e que nunca mais terei na vida mais do que um mês de férias (isto se tudo correr bem e não acabar por ser no futuro mais uma percentagem na estatística de desemprego). Apesar disso a "minha alma sorri" e por enquanto estou feliz. Sim, porque nervosismos só aparecem em cima do, e durante o, acontecimento, o que é sempre bom (ironia!).

Enfim, até lá é dizer um até já a todos os meus amigos!

E entretanto, hoje a ver se me alcoolizo um pouco, quem sabe. Afinal de contas há que abrir excepções de vez em quando. É dia de festejar!


domingo, 30 de agosto de 2009

É só mais um dia mau

Porque me apetece recordar Ornatos Violeta. E porque as coisas nem sempre correm como nós queremos. Enfim, é só mais um dia mau...



"Não quis guardá-lo para mim
E com a dimensão da dor
Legitimar o fim
Eu dei
Mas foi para mostrar
Não havendo amor de volta
Nada impede a fonte de secar
Mas tanto pior
E quem sou eu para te ensinar agora
A ver o lado claro de um dia mau

Eu sei
A tua vida foi
Marcada pela dor de não saber aonde dói
Mas vê bem
Não houve à luz do dia
Quem não tenha provado
O travo amargo da melancolia
E então rapaz então porquê a raiva
Se a culpa não é minha
Serão efeitos secundários da poesia

Mas para quê gastar o meu tempo
A ver se aperto a tua mão
Eu tenho andado a pensar em nós
Já que os teus pés não descolam do chão
Dizes que eu dou só por gostar
Pois vou dar-te a provar
O travo amargo da solidão

É só mais um dia mau"

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

E assim se fazem eleições neste país...

Segundo notícia do Público hoje, «Os debates entre os líderes partidários não deverão realizar-se por recusa do PS em aceitar o modelo proposto pelas televisões que consistia num frente-a-frente entre todos os candidatos.»
É assim que vamos para as próximas eleições que decidirão quem vai governar Portugal nos quatro anos que se seguem. Sem se saberem propostas, sem se discutirem ideias e ideais para o país.

E por muito que se diga que são todos iguais, que fazem todos o mesmo, preocupa-me mais que quem tem o direito de votar não esteja minimamente preocupado com isto, não queira saber e se tenha desinteressado completamente pela governação de um país que vai de mal a pior. Lamento, mas assim é que eles fazem mesmo o que querem, pois já nem precisam de apresentar propostas e de as discutir. Vão haver eleições e quem está contra tudo isto passa a mensagem errada ao ficar em casa em vez de ir votar, que é a única forma para que o seu descontentamento possa ser realmente ouvido.

Entristece-me ver um país apático e moribundo, que já não liga minimamente ao que quem tem o poder de dar um rumo a isto faz ou deixa de fazer. Entristece-me que ninguém perceba que o problema não são só eles (os políticos), somos todos nós que ao longo dos anos lhes demos rédea solta e que os deixámos tornar a política deste país na palhaçada que é actualmente. Como já alguém uma vez disse, temos os políticos e a política que merecemos.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Porque eu gostava mesmo de ser Sul-Coreano...

E ter para aí menos uns 10 anos em cima para poder jogar isto que nem um fanático sem que me olhassem de lado.


(Novo trailer do jogo)

Enfim, é a vida...

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Descobri a pólvora...

Estando eu em limpezas, fui limpar o meu pobre e velho teclado do computador, que coitadinho já se encontrava num estado lastimável. A primeira coisa que me ocorreu para deixar o teclado num brinco, foi Cif (o creme de limpeza, não a Companhia Industrial de Fundição, atenção!). Ora digamos que aprendi estupidamente que esfregar este produto nas teclas do computador não é de facto a melhor ideia... Digamos até que algumas teclas nunca mais serão tão cúbicas como eram.
Como se não bastasse, como tinha algumas teclas já sem letras (relembro que este teclado tem uma idade considerável) resolvi também reescrevê-las com caneta de acetato. E por tudo isto, fui bastante gozado, quem sabe com razão.

Mas que se lixem, o teclado ficou muito hardcore!... Ou então não.


Com a excepção dos PC's, é realmente uma ferramenta de limpeza bastante eficaz!

sábado, 8 de agosto de 2009

«Façam o favor de serem Felizes!»

Faleceu hoje um dos maiores, se não o maior nome da comédia neste país. Hoje Portugal fica mais triste e mais pobre com o desaparecimento de Raul Solnado, um dos poucos que conseguiu meter várias gerações de portugueses a sorrir.

E porque a geração mais nova sabe quem este grande senhor foi e o que representou não só na comédia como também para a salvaguarda dos direitos dos artistas em Portugal, aqui lhe deixo a minha sentida homenagem.

E como ele próprio diria, «Façam o favor de serem Felizes!»

1929-2009

terça-feira, 4 de agosto de 2009

"The Future soon"

Amanhã o Futuro espera por mim.

Não há volta a dar-lhe. Amanhã tenho de dar mais um passo em frente nesta longa caminhada. Mais um desafio me aguarda, mais um salto que é necessário. E a ansiedade invade-me a alma. No entanto não sei se por desejo de finalmente mudar alguma coisa ou se por medo disso mesmo. Como preciso de respirar um novo ar, de sair desta existência que já não é capaz de me curar e apaziguar. Não sei é se realmente estou preparado para isso, ou se alguma vez estarei.

Amanhã o Futuro espera por mim.

Apesar de raramente o fazer por alguém.

sábado, 25 de julho de 2009

Fado de uma rua qualquer

Tenho andado viciado nas músicas deste senhor, o Jorge Cruz, principalmente nesta. Obrigado ao T. e à C. pela descoberta!



"Longe fica a rua onde eu te vi.
E a vida pode recomeçar
onde eu quis sentar-me ao pé de ti
cheio de assuntos para te impressionar.

Pronto para ir ao fim do mundo atrás de ti.
Pronto para ver perder-se a lembrança de mim.
Pronto para ir ao fim do mundo atrás de ti.

Os teus olhos passaram por mim.
Eu tinha a vida a desesperar
e num instante o futuro decidi
ao não decidir, ao congelar.

Pronto para ir ao fim do mundo atrás de ti.
Pronto para ver perder-se a lembrança de mim.
Pronto para ir ao fim do mundo atrás de ti.

É que os fracos não agarram
as hipóteses de mudar.
O que agora só me resta é a dor.
Acordar.

Pronto para ir ao fim do mundo atrás de ti.
Pronto para ver perder-se a lembrança de mim.
Pronto para ir ao fim do mundo atrás de ti."



A lei dos mais aptos?

Às vezes acho que Darwin daria voltas na tumba se visse como tão descaradamente o ser humano tenta passar a perna à sua teoria no que ao próprio ser humano diz respeito. Sem pensar fazemos de tudo para sobreviver, nem que isso implique fazer os possíveis e os impossíveis para que "os menos aptos" da nossa espécie persistam.
E é nestas alturas que me pergunto se não chegará o dia em que o meu organismo em sofrimento me implore "já chega, estou farto."

terça-feira, 21 de julho de 2009

Ai Estereótipos, Estereótipos...

A Princesa da Tailândia esteve hoje no Porto, a convite do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto, na qualidade de fundadora e investigadora de um instituto semelhante na Tailândia, e tendo em vista possíveis colaborações futuras na investigação do cancro.

Mãe (ao ver a notícia): Ai mas esta princesa é muito feia!

Eu: E então, qual é o problema? Só por ser princesa é suposto ser bonita?

Mãe: Mas vê-se aí com cada princesa e rainha todas bonitas e elegantes... e esta não é.

Eu: ...

sábado, 18 de julho de 2009

One day, just one day...

Mais tarde ou mais cedo isto volta para me atormentar. Mais tarde ou mais cedo acaba por me derrubar de vez, pois sempre que volta, fá-lo de forma mais violenta.
Até lá, vou fingindo que sou livre e que não quero saber, algo que isto insiste em contrariar.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Estados de alma

Maldita, esta condição humana.
Finalmente cheguei onde queria chegar, e agora que aqui estou desejava poder voltar aos momentos de stress, em que prazos havia que cumprir, trabalhos era preciso fazer. Momentos em que o tempo não era suficiente e assim a mente ficava ocupada com estas banalidades e não tinha oportunidade para pensar, na minha existência, na existência dos outros e nas vicissitudes da vida.
Maldita, esta condição humana. Aliás, maldita, esta eterna insatisfação humana.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

É o fim de muita coisa e o começo de tantas outras

"Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da nossa vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos, não tanto pelo que nos dá, mas pelo que nos revela de nós mesmos." - Miguel de Unamuno

À Nádia, para quem o futuro começa hoje.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Devaneios internos

Olho tudo o que passou do alto do precipício.
Como me arrependo de tanta coisa que fiz e mais ainda de tanta que não fiz! É sempre quando estou prestes a dar mais um salto que fujo para o meu mundo imaginário de ses e hipóteses nunca comprovadas. Já é tarde para o fazer, não há borracha alguma que me apague e não há lápis que volte atrás para reescrever as coisas como queria que elas tivessem ocorrido. "O tempo não espera por nós".
Impotente face a este emaranhado de teias e de ligações que se tornou a minha vida, olho as nuvens por cima da minha cabeça, negras de incerteza, por tudo o que fui, por tudo o que serei. "O tempo não espera por nós". E com um sorriso triste no rosto, volto-me de novo para o precipício.
Dou mais um passo em frente.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Estou além

Eu já disse que tenho um fraquinho por esta senhora? Disse, não disse? Assim daqueles a dar para a veneração.




Mais uma cover muito bem conseguida dos Donna Maria que vale a pena recordar.



E também porque o estado de espírito neste momento é o da música em questão. Só estou bem onde não estou.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Deve ser castigo

Ontem uma rapariga gira e minimamente interessante convidou-me para sair (por incrível que pareça!).

Mas... por causa do trabalho vi-me obrigado a recusar o convite.


Rica vida... Depois ainda há quem se admire por eu ser pessimista.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Paranóias à Portuguesa

Eu acho uma piada a estes jornalistas televisivos que temos, pois quando não têm notícias não hesitam em as inventar.
Foi anunciado há pouco pela ministra da saúde que temos neste momento 13 casos de gripe A e logo os senhores jornalistas se apressaram a causar alarme, pois há umas semanas atrás só tínhamos metade dos casos. "Temos motivos para ficar preocupados?" "Estamos perante um caso de epidemia?"

Ora vamos lá a ver uma coisa. 13 casos duma doença num país com mais de 11 milhões de pessoas não é uma epidemia, é quanto muito uma... "comixãozinha", vá.


E não estou com isto a sugerir que se desvalorize o assunto, estou é a sugerir que não seja tratado como uma tragédia grega.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

"Horney"?

"Dá a surpresa de ser.
É alta, de um louro escuro.
Faz bem só pensar em ver
Seu corpo meio maduro.

Seus seios altos parecem
(Se ela tivesse deitada)
Dois montinhos que amanhecem
Sem Ter que haver madrugada.

E a mão do seu braço branco
Assenta em palmo espalhado
Sobre a saliência do flanco
Do seu relevo tapado.

Apetece como um barco.
Tem qualquer coisa de gomo.
Meu Deus, quando é que eu embarco?
Ó fome, quando é que eu como?"
Fernando Pessoa


Porque consta que tenho andado assim ultimamente. E se calhar até mais do que é costume ser habitual...

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Baixar de braços?

Maldito jeito de ser, malditos traços que me restringem...
Mas que estou para aqui a dizer? Que fatalismo e que passividade são estes?

Somos senhores do nosso destino... Mas o que é certo é que se por um lado quero alcançar algum objectivo, por outro estou aqui, imóvel, sem conseguir avançar. E não há nada que me convença que a culpa não é minha.

domingo, 21 de junho de 2009

Reminiscências do Passado

Uma apresentação de um livro de poesia relembra-me de que em tempos até eu tentei exorcizar o que me ia na alma através da escrita.
Chego a casa e corro para a velha mala, empoeirada e escondida a um canto. Revivo um passado, uma adolescência deprimente e sofrida, como a de todos os adolescentes. Num misto de vergonha e tristeza, arrumo os papeis manuscritos e fecho a mala. Não gostei do que vi. Mas não sei se pelo ridículo, se por me rever ainda em algumas das coisas escritas.

sábado, 20 de junho de 2009

Panquecas, quecas, quecas...

Hoje aprendi a fazer panquecas!




E ficaram boas!





Já posso dizer que sei cozinhar alguma coisa para além de ovos mexidos!

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Porque há coisas com as quais não contamos mesmo

Olho para este porta-chaves mais vazio e sinto o peso de que tudo passou, tão depressa quanto começou.
De facto só quando deixamos as coisas é que lhes sabemos dar o devido valor. Será que todo este tempo serviu para alguma coisa? Assusta-me o facto de tudo isto passar desta forma e ficar com a incerteza de ter deixado ou não alguma marca, de ter feito alguma diferença.

Se calhar o que me assusta é mesmo o vazio deste porta-chaves...

terça-feira, 16 de junho de 2009

A Perfeição é relativa, muito relativa...

Hoje enquanto estava na fila de um serviço de reprografia para encadernar umas coisas, tinha à minha frente uma senhora de meia idade que estava a demorar uma eternidade a verificar qual a melhor encadernação porque o seu trabalho tinha de ficar perfeito, palavras da senhora que se repetiram constantemente sempre que se lhe perguntava se queria argolas plásticas ou de metal, acetatos, etc.

Depois de comparar a dimensão e forma dos furos que cada tipo de argolas implicava, e de dizer que queria o seu trabalho com uma capa e não com um acetato, porque o seu trabalho tinha de estar perfeito (algo que fez a senhora que estava a atender andar feita doida à procura de alternativas ao acetato), reparou na argola metálica de cor verde que lhe tinham colocado em cima do balcão e disse:
- "Não tem argolas com várias cores?"
- "Várias cores? Mas, na mesma argola? ... Isso não."
- "Ah... que pena."

Afinal de contas, o importante é que o trabalho esteja perfeito!

sábado, 13 de junho de 2009

A reter

O Programa "Portugal, meu Amor" da Sic Radical tem-se mostrado uma agradável surpresa. Interessantes análises sociais sobre este mal-fadado país que tantas particularidades tem.

Anda um gajo a estudar para quê?

Se nunca lhe dão ouvidos, mesmo quando mais tarde se chega à conclusão que tinha toda a razão e que se teriam evitado problemas maiores se o tivessem feito.

Raios partam esta gente teimosa!

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Vidinha triste!

Tão bom que é riscar trabalhos da nossa longa lista de actividades a realizar.

Tão mal que sabe reparar que a lista nem a meio vai...

domingo, 7 de junho de 2009

Este país deprime-me

Como era de esperar, mais uma vez se comprova que as pessoas deste país têm memória curta e continuam a votar nos mesmos dois partidos e, à medida que se cansam, vão trocando entre um e outro. Podem até ter sido umas eleições europeias (o que já de si diz muito de como vão ser as políticas europeias dos próximos anos), mas certamente acontecerá algo semelhante daqui por uns meses nas legislativas.

E eu perante isto tenho a dizer, MINHAS GRANDES BESTAS! Será possível que ainda não perceberam que continuar eternamente a votar nos mesmos alternadamente não muda nada? Estão a manter com acesso ao poder os mesmos responsáveis pelo estado em que o país se encontra. Podem mudar as caras, mas as ideias são as mesmas...

Rectifico o título, não é este país que me deprime, é mesmo o Ser Humano em geral.

Porquê?! (nº8)

Porque é que uns hão-de ter sempre tudo e eu nada?

Será mesmo que dá "Deus" nozes a quem não tem dentes?

(Pequena crise egoísta)

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Será que...

Sou só eu ou o candidato do PS às Europeias é igual ao avô cantigas?




Venha o diabo e escolha...

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Porquê?! (nº7)

Mas porque raio é que a expressão "velho a fornicar" no google tem como a primeira opção este blog?

Tudo bem que eu até já disse que me aproximava de uma versão actualizada do Velho do Restelo, mas fornicar até que, infelizmente, não tem sido coisa que abunde muito para estes lados nos últimos tempos...

E pronto... é melhor ficar-me por aqui.

Vazio

Despistado, sem pensar em nada, completamente desligado. Uma total ausência de funcionamento mental. Qual casco de carvalho oco estou. Imponente, mas vazio.

sábado, 30 de maio de 2009

"Paixões"

Há dois dias atrás "apaixonei-me" por um par de pernas. Por muito fútil que tal possa parecer, nunca me tinha sentido tão bem nos últimos tempos.
Aquele par de pernas permitiu-me voltar a divagar pelos bons velhos tempos do início da adolescência em que tudo era simples e bastava apaixonar-nos por uma cara bonita para os nossos dias serem mais felizes e cheios de significado.


Hoje em dia, quem me dera "apaixonar-me" por um par de pernas novo todos os dias. Já nada é assim tão simples.

terça-feira, 26 de maio de 2009

God?

Ao cuscar um blog por aí deparei-me com o tema da religião e do seu questionamento. E sinceramente acho que nunca me tinha questionado sobre porque comecei a questionar a fé e a religião. Reflectindo agora sobre o assunto, acho que deixei de acreditar em Deus a partir do momento em que ao "suplicar por ajuda" me apercebi que estava a "falar" comigo mesmo.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Bleh!

Há dias em que me farto de mim mesmo e a minha existência me sufoca. Hoje é um desses dias.

sábado, 23 de maio de 2009

Isto às vezes há umas bem merecidas...

Eu até acho que o Sr. Bastonário da Ordem dos Advogados é assim um bocadinho (ironia) demagogo, no entanto não posso deixar de o felicitar por ter sido o primeiro a fazer aquilo que muita gente gostava de fazer: meter a Manuela Moura Guedes no seu lugar ao criticar o seu "estilo" de jornalismo (ironia mais uma vez). Se há razões para eu achar que a televisão portuguesa está cada vez mais uma palhaçada, a tvi é uma delas e em particular esta senhora. É pena é que provavelmente não vai aprender com a vergonha que passou ontem à noite. Esperemos, no entanto, é que quem costuma ver a tvi e gosta tenha aprendido alguma coisa (*sonha, Metacrítico, sonha!*).

Para quem não viu:


segunda-feira, 18 de maio de 2009

Porquê?! (nº6)

Mas porque raios me ficam sempre por muito tempo as músicas da Eurovisão na cabeça?




Years ago, when I was younger,
I kinda liked a girl I knew.
She was mine, and we were sweethearts
That was then, but then it’s true

I’m in love with a fairytale,
even though it hurts
‘Cause I don’t care if I lose my mind
I’m already cursed.

Every day we started fighting,
every night we fell in love
No one else could make me sadder,
but no one else could lift me high above

I don’t know what I was doing,
when suddenly, we fell apart
Nowadays, I cannot find her
But when I do, we’ll get a brand new start

I’m in love with a fairytale,
even though it hurts
‘Cause I don’t care if I lose my mind
I’m already cursed

She’s a fairytale
Yeah…
Even though it hurts
‘Cause I don’t care if I lose my mind
I’m already cursed


O problema é que até acho piada a isto...

Caminhos Paralelos

A falta de acaso no Acaso assusta-me tremendamente. Quando menos espero, reminiscências de um Passado longínquo surgem perante mim, reavivando chagas há muito saradas e brincando de forma imprópria com o caos que habita a minha mente.
Foi perante um cenário desses com que num destes últimos dias me deparei. Enquanto percorria os percursos do Presente na direcção do Futuro incerto, o Passado passou mesmo ao meu lado como se nada fosse e seguiu o seu caminho, fazendo-me parar e olhar para Ele, relembrá-lo e imaginar para onde iria se há uns tempos atrás me tivesse sido dada a oportunidade de O seguir.

domingo, 10 de maio de 2009

Coisas que de tão más até envergonham...

Depois de uma semana extremamente cansativa, em que os esgotamentos nervosos estiveram prestes a dar um ar de sua graça, mas que no fim acabou por ser recompensadora pelo pequeno papel que me deixaram ter no evento marcante e importante que a mesma representou, eis-me aqui de volta ao mundo do comodismo cibernético.

E se houve uma coisa que esta semana que passou me mostrou, foi o quão carente e necessitado de "afecto" ando. Ainda não me tinha apercebido de tal coisa, e foi preciso andar completamente exausto para o filtro dissipar-se e perder toda a vergonha na cara. Para quem não acredita, aqui ficam alguns exemplos, ao jeito de algum tipo de blogs como o de um bom amigo meu.

Ao pc enquanto inseria informações na base de dados do evento:

Eu: Olá! Nome, por favor.

Desconhecida 1: _ _ _ _ Boazinha.

Eu: (controlando a boca parva que estava prestes a sair) ... Com z?


Ainda na mesma função, pouco depois:

Eu: Ok, preciso agora do teu endereço de e-mail...

Desconhecida 2: Está bem. pipinha_ _ _ @_ _ _ _ _ .

Eu: (Já sem conseguir evitar o riso da estupidez que ia dizer) PIPI?


E para terminar, numa pausa com umas colegas do evento:

Conhecida 1: Ali o _ _ _ _ _ _ _ é muito giro!

Eu: Giro?! Aquele? Ok...

Conhecida 2: Sim, é giro. É pena é quando abre a boca, é uma seca!

Eu: (Para a Conhecida 2) Tão, por isso é que depois há tipos como eu: feios, mas intelectualmente muito interessantes...
(E saio com um sorriso sacana de quem sabe para onde vai, mas a pensar: Jesus! Acabei de mandar-lhe uma boca de engate, e das muito más ainda por cima... E descarada!)

Serve isto só para informar que estou de volta à minha vidinha normal.

terça-feira, 21 de abril de 2009

As coisas que uma pessoa aprende!

Hoje a lição que ficou de uma das aulas que tive durante a tarde foi a seguinte (e atenção que foi mesmo isto que o prof. disse):

"Os trabalhadores jogam futebol e gostam de futebol;

Os gestores jogam ténis e gostam de ténis;

Os donos das empresas jogam golfe e gostam de golfe.

Conclusão:
Quanto maior o nível hierárquico mais pequenas são as bolas!"


Pois...

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Isto não está bom...

Nunca o tinha sentido antes, é algo assustadoramente novo para mim, mas não há dúvidas... Estou cada vez mais perto de ter um colapso nervoso. Resta-me esperar que a resistência psicológica que tenho tido até então para não me deixar afogar nesta onda fria se mantenha por mais tempo. Gostava era de poder acreditar nisso...

quarta-feira, 8 de abril de 2009

...

Neste preciso momento assiste-se à decadência da televisão portuguesa, e acho que me morreu um neurónio qualquer ao presenciar tal acontecimento.

segunda-feira, 23 de março de 2009

Porquê?! (nº5)

Mas porque é que eu quando não tenho nenhum compromisso obrigatório de manhã em vez de me levantar a horas decentes fico a preguiçar na cama?

...

Procrastinadorzinho!

quinta-feira, 19 de março de 2009

É tudo uma questão de monstros...


Foi hoje condenado a prisão perpétua numa unidade psiquiátrica, o famoso monstro de Amstetten. E se por um lado as atrocidades cometidas por este senhor (chamemos-lhe assim) são inquestionáveis e imperdoáveis, do mais reles e nojento que existe por aí, por outro lado não pude deixar de reparar nas reacções que tenho ouvido por aí ao longo desta semana de julgamento. O que ouvi foi idêntico ao que costumo ouvir em casos semelhantes, "é um animal, deviam dar-lhe um tiro nos cornos!", "merecia morrer!", "deviam-lhe fazer o mesmo!"...

Por vezes não sei do que mais ter medo, se destes monstros que se tornam mediáticos pela sua falta de humanidade, ou se dos pequenos monstros que há em cada um de nós.

segunda-feira, 9 de março de 2009

5+2=0 - Desafio!

Fui desafiado mais uma vez pelo Raciocínico.

"Sem dúvida que acertar em 5 números e 2 estrelas , não é tarefa fácil. Esta semana há Jackpot especial de 100 MILHÕES... Se ganhasses, que farias? Enumera 5 coisas que farias se te saísse o prémio e escolhe outros 3 bloguers a quem passar este desafio! E Boa Sorte!"

Ora bem, o que faria?... Provavelmente a primeira coisa seria tirar umas férias para um local sossegado e com muito verde (o Gerês é giro, se calhar voltava lá!); compraria também o melhor computador que existisse para poder comprar tudo quanto é jogos de vídeo que ainda não pude jogar; ter uma casa só para mim era fixe também; se calhar comprava uma fábrica de chocolates suíços para produzirem exclusivamente para mim =P; e comprava um telescópio. Eu sempre quis um telescópio!

Agora que vejo, só faria coisas para mim, que caridoso que sou... XD


Bem agora desafiar... desafio quem se sentir desafiado!

sábado, 7 de março de 2009

Há coisas que de tão estúpidas...

É por estas e por outras que a religião de vez em quando me dá nojo.

O mais ridículo é que ainda há quem siga cegamente esta gente...

sexta-feira, 6 de março de 2009

Parlamento no seu melhor

Digamos que atingimos ontem no Parlamento um nível que há muito ansiava. Insultos, palavrões, ameaças de porrada... Estamos mesmo quase a chegar aos calcanhares de parlamentos como o coreano e o ucraniano, em que para se discutir como deve ser as coisas tem de se partir uns dentes, que é para as opiniões ficarem bem assentes.
Depois disto o canal parlamento português vai ser o meu canal preferido, ao qual vou assistir enquanto despejo baldes de pipocas, qual enfardadora humana. Pode ser que algum dia se assista a cadeiras a voar, por exemplo.

quinta-feira, 5 de março de 2009

Uma questão de REM

É caso para dizer que o REM às vezes é lixado...



Sleeping Dog Runs Into Wall - Watch more Funny Videos

terça-feira, 3 de março de 2009

New Challenge - 8 Características






Eis que surge mais um desafio do Raciocínico acompanhado de prémio, assim parece.





E as regras são as seguintes:

- Escrever uma lista com 8 coisas características suas (personalidade).
- Convidar 8 parceiros(as) de blogs amigos para responder....
- Comentar no blog de quem nos convidou.
- Comentar no blog dos nossos(as) convidados(as), para que saibam da “convocação”...
- Mencionar as regras.

Vamos então às características:

1ª - Stressado como o caraças;
2ª - Atrapalhado;
3ª - Com sentido de humor (ou pelo menos acho que tenho);
4ª - Ingénuo;
5ª - Meio tarado (mas só meio! =P);
6ª - Teimoso;
7ª - Chato;
8ª - Ligeiramente obsessivo-compulsivo.


8 pessoas a desafiar:

...
...

Epá, não tenho gente para isso! lol

Por isso, quando existirem e lhes apetecer, força!

segunda-feira, 2 de março de 2009

O Amor é parvo - Resposta ao desafio

O Raciocínico lançou um desafio a quem lhe apeteça responder e eu como nas próximas horas vou passá-las perante um dos meus piores pesadelos (um funeral) apetece-me falar de outras desgraças para desanuviar um bocadinho, neste caso tentar definir o Amor.

Eu sou com toda a certeza a pior pessoa para falar deste tema, pois sempre fui um grandessíssimo banana nesse assunto, tendo uma panóplia de exemplos pessoais em que sempre que esse acontecimento me bateu à porta aconteceu porcaria. Para já apanhei com as piores tampas que se podem apanhar (acreditem, qualquer uma das minhas bate as vossas aos pontos!). E depois nem falemos do meu último relacionamento, pois o desastre foi gigantesco e eu sou orgulhoso de mais para admitir que errei redondamente em algo que sempre pensei que não seria possível errar, na escolha das pessoas que se "ama" e no que se sacrifica por elas.

Mas pronto, isto tudo serviu para chegar onde pretendo, à minha justificação para o Amor. Pegando no meu triste e deplorável exemplo pessoal, sim existem motivos químicos e fisiológicos para a atracção/amor, mas principalmente existe uma necessidade humana por trás do mesmo, tão simples como a necessidade de comer. E para mim é claro, o Amor não passa de uma necessidade que surge da procura de interacção social, tão característica do ser humano. Nós somos seres essencialmente sociais, precisamos de afecto, de interacção com os outros, e o Amor será a necessidade máxima disso, ter alguém ao nosso lado que partilhe da nossa experiência mais íntima, que nos acompanhe na nossa jornada.

Daí que por muito que digamos que depois de uma relação terminada que não queremos mais ninguém, acabamos por cair outra vez no mesmo ciclo vicioso ao aparecer alguém que tenha paciência suficiente para aturar tudo aquilo que nós somos e o que isso implica. No fundo, temos medo de acabar sós, precisamos de alguém que saibamos que vai estar connosco, do nosso lado até ao último minuto.

Lamechas? Talvez, mas é por isso que o Amor é parvo, pois não passa de uma necessidade humana elevada a um sentimento divinal e mágico. E que de divinal e mágico pouco tem se o tentarmos esmiuçar, mas o mesmo acontece com tudo o resto que nós consideramos transcendental.

domingo, 1 de março de 2009

Tudo é efémero

Hoje voltei a cruzar-me com Ela. Há medida que percorro o tempo cada vez mais A encontro pelo caminho. "É natural" dizem, é a lei da vida, o que faz a terra girar, mas para o meu lado menos racional nada de natural tem.
Com Ela vem um cheiro a flores moribundas e um sabor a lágrimas que anunciam um arrastão de dor e sofrimento aos que com Ela não vão. E um desespero sufocante de assuntos do passado que não ficaram resolvidos, invade-me a alma sempre que A vejo chegar. Não consigo. Não sei lidar com Ela, arrepio-me sempre que A sinto assim tão perto, pois por muito que possa ser apaziguadora, não me conformo que a nossa existência se reduza a isto. Temo-a por me obrigar a encarar o quão insignificantes nós somos e o quão efémero tudo isto é, o quanto nós desperdiçamos o tão precioso tempo que temos. Por isso, sempre que A sinto por perto um desejo vão percorre os meus pensamentos: "Por favor deixa-me em paz, Morte".

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Bem-vindo ao Passado


Bem Vindo ao Passado - Donna Maria

"Já morri a morte certa
Já senti a fome apert'a dor
Já bati à porta incerta
Viajei de caixa aberta à dor
Pecado, fundido, queimado

Já desci lá em baixo ao fundo
Já falei com outro mundo...e então?
Já passei o limbo-limbo
Já subi ao purgatório...e vou
Zangado, bem-vindo ao passado
Pecado, arrependido, queimado


Zangado, bem-vindo ao passado
Pecado, fundido e queimado...


Zangado, bem-vindo ao passado
Pecado, arrependido, queimado"

Original dos GNR, mas aconselho vivamente esta

versão dos Donna Maria que está no seu último álbum.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Fornicar

A minha amiga está com um problema com o seu casal de ratos que não faz mais nada a não ser procriar como se não houvesse amanhã. E isto deu-me que pensar... acho que temos de reformular um pouco o senso comum, pois afinal não é a vida de cão que é boa, é a de rato.




Bem, o meu pai tem Rato como um dos seus apelidos... Does that mean there's hope for this "mouse" descendant?

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Porquê?! (nº4)

Mas porque é que eu tenho a necessidade de carregar com as responsabilidades que não são só minhas acabando por me prejudicar pessoalmente?


Consciência filha da mãe...

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Em memória do saber

Numa época em que a estupidez humana assombra sistematicamente o mundo, e em que essa mesma estupidez insiste em tentar impingir-se mais e mais como uma verdade absoluta e como científica, nunca é de mais recordar que há 200 anos atrás nascia Charles Darwin. E que devido a esse senhor podemos hoje considerarmo-nos gratos por nos ter ajudado a compreender melhor o que nos rodeia e também por manter a verdadeira ciência como ela deve ser, factual e empírica.


Charles Darwin (1809-1882)
Pai da Teoria do Evolucionismo, que até prova credível em contrário é considerada válida.

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Deve ser castigo

Tenho andado bastante ocupado com trabalhos que não me têm dado muito tempo livre, mas mesmo assim, depois de alguma insistência, lá cedi e fui a um jantar de anos de uma amiga.

E o que ganhei em troca?

Acabei por ter de ficar num canto ao lado duma histriónica com ligeiros traços psicóticos que devia pesar perto de 100 quilos e que eu não conhecia de lado nenhum. Fiquei ligeiramente embriagado, pois pensei que se me mantivesse ocupado ela não se meteria comigo.

Não resultou.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Originalidade

Será a originalidade verdadeiramente genuína, algo novo e nunca antes pensado, ou não passará ela de uma simples reinvenção daquilo que já existe?

Porquê?! (nº3)

Porque é que a minha memória só é muito boa para fixar coisas inúteis?

Insanidades

E sentado na poltrona por entre a escuridão de um quarto vazio espero que o tempo pare. Que me deixe respirar uma vez mais.
Mas ele não pára e tudo passa, tão depressa que o seu ritmo me afasta e afasta. E quando vejo, aqui estou, perante algo que já passou e já não sei o que faço, o que quero, o que quis e para onde vou.

sábado, 31 de janeiro de 2009

E pronto

"Esperar pelo melhor e preparar-se para o pior: eis a regra." - Fernando Pessoa

Nem mais.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Quando se pode complica-se

A ministra da saúde está a querer convidar os alunos de medicina que estão a tirar o seu curso no estrangeiro a virem acabá-lo em Portugal para tentar combater a falta de médicos no país.

Há coisas que de tão hipócritas me dão vontade de rir... Vamos lá ver uma coisa. Os alunos que não estão a tirar o curso de medicina em Portugal são na sua maioria alunos que não tiveram média suficiente para entrarem cá, certo?

Eu nem percebo nada disto, mas não seria mais simples e menos estúpido, sei lá, baixarem as médias de entrada nem que seja a porra de um valor e aumentarem um bocadinho as vagas para medicina, em vez de estarem a remendar as coisas com convites?

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Ele há coisas...

Quando penso que nada mais me pode surpreender aparecem coisas destas.

Um grupo de pessoas afirma que de uma dupla de ladrões, um foge e o outro... transforma-se numa cabra. E o que faz a polícia?

Prende a cabra! Não vá o animal querer identificar o parceiro em troca de uma diminuição da pena, quem sabe... Ou então em troca de um fardo de palha.

O ser humano fascina-me...

Porquê?! (nº2)

Porque é que quando finalmente tenho uma ideia decente descubro que já alguém a teve antes de mim?

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Alma cansada

Há dias em que só uma coisa me passa pela cabeça e que é "Como eu te compreendo, Nandinho!":


"Ai que prazer
Não cumprir um dever,
Ter um livro para ler
E não o fazer!
Ler é maçada,
Estudar é nada.
O sol doira
Sem literatura.
O rio corre, bem ou mal,
Sem edição original.
E a brisa, essa,
De tão naturalmente matinal,
Como tem tempo não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto é melhor, quanto há bruma,
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

O mais que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças
Nem consta que tivesse biblioteca..."

Fernando Pessoa

Que raios anda esta gente a fumar?

Parece que as políticas de educação do Sr. Sócrates foram consideradas um exemplo a seguir pela OCDE.

...

Ou eu acordei numa realidade paralela ou então há aqui qualquer coisa que me está a passar completamente ao lado.

Porquê?! (nº1)

Porque é que as coisas na minha cabeça são sempre muito mais espectaculares do que a bosta que acaba por sair cá para fora?

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Ambição

Uma música que ultimamente passa de mais na rádio e que por isso não me tem saído da cabeça tem uma parte da letra que diz "Be careful what you wish for, 'cause you just might get it all".

O que será pior? Ser consumidos pelas nossas ocas ambições, doentias por vezes, ou ser consumidos pelo terror de não termos nenhumas, de não passarmos de seres tristes e vazios?

Ena, mais um blog! -_-

Pois é! Sou mais um que cedeu à tentação de vir para aqui dizer o que bem lhe apetece para quem for suficientemente louco de vir ver, ou até para ninguém. O que interessa aqui é mesmo despejar o que me ocupa desnecessariamente a pouca massa cinzenta que me resta antes de enlouquecer de vez. Vou certamente colocar por aqui muitas questões que me atormentam, mas pretendem-se todas retóricas pois serão todas ridículas.

Faz-se então um aviso à tripulação. O autor deste blog é uma pessoa perturbada e pouco coerente. Portanto não liguem aos disparates que vão aparecer por aqui. Considerem-se avisados.