sexta-feira, 1 de março de 2013

«Calhou cocó»

Ainda com a frase da constatação a remoer-me o espírito, dirigi-me ao bar para pedir uma segunda bebida. Quando conduzo nunca peço mais que uma, mas desta vez a situação assim o exigia. Precisava dos conselhos do fundo do copo.

Eu - Hey! Não reparei que estavas aí. Força, podes pedir, já estou servido.
E. - Até pedia, mas a senhora fugiu-me...
Eu - É... Costuma acontecer-me com frequência.

E assim, lá se me escapou por entre os dentes o verdadeiro estado de alma. Valeu-me, quem sabe, o facto de a pessoa não ter nada com o assunto e não ter percebido de que raio estava eu a falar.

Estou cansado de ver a mesma história repetir-se uma e outra vez, e de que acabe sempre da mesma maneira, por mais que as situações sejam inicialmente diferentes. Sempre o mesmo padrão que me acaba por levar à velha auto-comiseração. Por isso já chega. Esta termina já aqui antes de começar sequer. Desisto. Nunca mais.

3 comentários:

Elsa TR disse...

Normalmente quando uma pessoa desiste mesmo é quando aparece um motivo para não desistir. O desistir a sério é que é mais complicado. But what do I know?

Erre disse...

Quem sabe? Mas digamos que "me fartei de perder comboios precisamente quando ia para comprar o bilhete e por isso resolvi começar a andar a pé"... ;)

Elsa TR disse...

"Andar a pé faz bem à saúde"

(só não sei à de quem) :D